Hoje é dia de decisão para os funcionários da Codesp – Companhia Docas do Estado de São Paulo. Eles se reúnem em assembléia conjunta na sede do Sindicato da Administração Portuária de Santos, às 20h. Na pauta da assembléia: decidir pela paralisação das atividades caso a empresa não cancele as demissões executadas até agora.

Nos últimos 15 dias, a Codesp, em atitude unilateral e sem qualquer justificativa, demitiu seis funcionários de carreira e de mais de 20 anos de casa. Em duas reuniões com a diretoria da empresa, os sindicatos exigiram a readmissão dos funcionários e o fim das demissões.

Os portuários receberam solidariedade de muita gente, como a dos deputados estaduais Paulo Alexandre Barbosa (PSDB-SP), Maria Lúcia Prandi e do primeiro suplente Fausto Figueira, ambos do PT. Os deputados federais Beto Mansur (PP-SP) e Paulinho da Força Sindical (PDT-SP) também apresentaram apoio ao pessoal da Codesp.

Na tarde desta quinta-feira (15), a deputada estadual Haifa Madi (PDT) informou que pediu ao deputado federal do seu partido e presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, uma ação efetiva para cobrar da Codesp explicações sobre essas demissões. Para a deputada, “os diretores devem informar quais foram os critérios ou motivos dessas demissões, uma vez que a Codesp não é uma empresa privada. Afinal, são funcionários antigos e que poderiam ser aproveitados pela empresa”.

Sem nada
Os sindicatos que representam funcionários na Codesp receberam ofício (veja o documento) assinado pelo presidente da Codesp, José Di Bella Filho, nesta quinta-feira (14), onde não toca no fundamental da luta dos portuários: a readmissão dos demitidos.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website