Enquanto os homens exercem seus podres poderes
Motos e fuscas avançam os sinais vermelhos
E perdem os verdes
Somos uns boçais
(Caetano Veloso)

Quando pensamos que já vimos tudo, eis que sempre surge uma “novidade” patrocinada, é bom salientar, com dinheiro público.

As atenções, nesta segunda-feira (1º/2), se voltaram para o processo eleitoral das presidências das duas Casas legislativa – Câmara e Senado Federal. Mas não só. Antes tivemos uma corrida frenética às compras. Dizem que os preços e os produtos são variados. Veremos.

Urubus

Por agora, ficamos na compreensão deste momento ao País. Enquanto temos mais de 220 mil mortes de brasileiros, a classe política se mobiliza – e depois faz festa – para um pleito. Como se isso realmente fosse a preocupação maior da sociedade brasileira.

Entre a luta pela vida e a busca pelo poder, Executivo e Legislativo escolheram o último tema. Se todos fossem tão velozes e prestativos na busca pela imunização de todos os brasileiros, de forma democrática, como foram nesse processo eleitoral, não teríamos mais de 200 mil mortes em menos de 10 meses. Repetindo: mais de 200 mil mortes em menos de 10 meses.

Banalizaram o sofrimento da sociedade brasileira. Banalizaram o desenvolvimento sustentável do País. Banalizaram o Brasil. Em troca do quê? De cargos – alguns de migalhas com cheiro de poder – , de poder pelo poder. E porque já estão com a cabeça numa eleição que ocorrerá em 2022.

Triste Brasil. Execráveis podres poderes.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente