A internet promoveu a maior mudança tecnológica da história de humanidade. Sem entendê-la ainda plenamente, o mundo vai lidar com os choques da inteligência artificial e a revolução da tecnologia blockchain.

O acelerado processo tecnológico que promove profundas mudanças nas atividades marítima e portuária no mundo tem evidenciado a importância de o setor valorizar o seu capital humano, como estratégia da competitividade. Essa tendência que aumenta a produtividade exige novas competências da mão de obra das empresas. Para dominar a tecnologia e enfrentar a competição internacional é preciso implantar programas de aprimoramento do recurso humano, alinhados com as estratégias da empresa, abrangendo do trabalhador ao executivo.

Dad 13FEV2020

Editorial 
Portos brasileiros atrasados na era tecnológica

Segundo o presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Robson Braga de Andrade, temos, no País, 80 milhões de brasileiros sem o ensino médio e a necessidade de qualificar 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais até 2023. Na maioria das empresas nacionais, os programas de aprimoramento do recurso humano são considerados custeio, em vez de investimento de alto retorno. Entretanto, em escala cada vez maior o sucesso e a sobrevivência de toda empresa irão depender do desempenho da sua força de trabalho de conhecimento.

Artigo | Paulo Exel 
Como a tecnologia pode revolucionar a área de recursos humanos?

Tecnologias digitais como a internet das coisas (IoT), blockchain, big data e automação estão moldando uma nova estrutura, criando desafios e ameaças para o trabalho portuário, dada a crescente demanda por novos empregos com foco em pessoal que produza resultados ágeis e qualificado. Nesse processo de inovação, tem destaque a criatividade do ser humano. Traduzido pelas palavras da professora Marisa Eboli, da área de Recursos Humanos da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo (FEA/USP), “mais do que economias competitivas, teremos sistemas educacionais competitivos”.

Editorial 
Competitividade dos portos brasileiros

Ao setor de Recursos Humanos da empresa devem ser acrescidas características da engenharia moderna, de forma a desenvolver visão sistêmica. Isto significa encarar a realidade física, social e econômica holisticamente, como um conjunto complexo. Ou seja, as suas partes ou subsistemas atuando de forma integrada e interdependente. Isto representa um enorme desafio que deve ser enfrentado para transformar padrões culturais, políticos e sociais, tão fortes nos discursos da sustentabilidade. E para desenvolver o trabalho em equipe.

Dia a Dia 
Os portos das próximas duas décadas

É da sustentabilidade da empresa que se trata, em um ambiente de transição de perfil dos recursos humanos– da força para a habilidade - com impactos jamais experimentados. Para fazer uma transição suave e ser bem sucedida, a empresa deve seguir o velho adágio romano: se desejas a paz, prepara-te para a guerra.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website