Dersa pode ser extinta já agora em agosto caso projeto de lei do Executivo seja aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Entrevista do engenheiro Murilo Pinheiro, presidente do sindicato dos profissionais do Estado de São Paulo (Seesp), publicada no jornal da entidade, lança alerta ao desmonte de estrutura técnica de alta competência no estado. Segundo ele, o processo de liquidação de empresas essenciais ao planejamento estratégico do Estado e de assessoria técnica aos municípios pode significar um desmonte da inteligência paulista, com prejuízo ao desenvolvimento e ao bem-estar da população. Nesse rol, está a defesa da empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa).

600 inteligencia

Tramita na Assembleia Legislativa projeto de lei (727/2019) que propõe a extinção da empresa. Sobre a matéria, Murilo é taxativo: "Isso é um equívoco lamentável. A Dersa, com seus 75 engenheiros, profissionais altamente qualificados e que detêm conhecimento e experiência inestimáveis no setor, tem papel fundamental a desempenhar no desenvolvimento do Estado."

A história técnica da empresa, ressalta o engenheiro, não pode ser confundida com denúncias de desvios em contratações pela empresa, que, aliás, estão sendo investigadas. "Esperamos que absolutamente tudo seja apurado e os responsáveis, processados e punidos conforme a lei. Mas não se pode abrir mão de um ativo que é referência no mundo e que muito ainda tem a contribuir. É papel da empresa planejar e projetar a superação do quadro de saturação dos eixos rodoviários paulistas, para dar um exemplo. A iniciativa privada pode construir e operar estradas, mas não desempenhará essa função fundamental", salienta.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website