O engenheiro José Manoel Ferreira Gonçalves, presidente da Frente Nacional pela Volta das Ferrovias (Ferrofrente), defensor convicto do transporte ferroviário de passageiros, está solicitando a abertura de inquérito civil para que sejam apuradas as causas do acidente envolvendo dois trens de passageiros do ramal Deodoro, que bateram na estação de São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro. A solicitação fui junto ao Promotor dos Direitos Difusos do Cidadão.

Trens São CristóvãoFoto: Divulgação.

Por volta das 6h55 horas da manhã desta quarta-feira (27/02), dois trens com passageiros da SuperVia colidiram na estação São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente deixou ao menos nove feridos. O maquinista de um dos trens, que ficou preso nas ferragens, foi resgatado depois de mais de 7 horas, mas não resistiu e morreu.

Diz Gonçalves: "Considerando-se que o Inquérito Civil configura procedimento preparatório destinado à viabilização da ação civil pública e é um procedimento administrativo que busca o recolhimento de elementos de prova que deem margem ao ajuizamento da ação civil pública, solicitamos que seja aberto o competente procedimento para a apuração das causas e responsáveis.
Dessa forma solicitamos providências que considerem a urgência envolvida."

Para ele, o fato ocorrido "é potencialmente criminoso, com a probabilidade de apuração de possível homicídio doloso ou culposo resultante de riscos não mitigados na operação, requer-se igualmente a instauração de inquérito criminal para apurar responsabilidades e danos".

Em nota fria, minutos depois do aciente, a SuperVia escreveu em seu Twitter: "Lamentamos profundamente e estamos prestando todo o suporte para resolução o mais rápido possível. Vamos apurar as causas com rigor."

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website