O I Curso de Operadores de Aeronaves Remotamente Pilotadas (I COARP/GPORT), promovido pela Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), capacitou 17 guardas portuários. O treinamento, organizado pela Superintendência da Guarda Portuária junto com a Gerência de Gestão de Carreiras da companhia, aconteceu entre os dias 03 e 07 de fevereiro, no Centro de Instrução e Treinamento da Guarda Portuária, em Itaguaí.

O objetivo do curso foi capacitar os participantes para o uso das Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARPs), popularmente conhecidas como drones, em operações de patrulha e policiamento com mais segurança e confiança, observando as leis e normas próprias da Aviação Civil (ANAC), do acesso e controle do espaço aéreo (DECEA) e das telecomunicações (ANATEL).

As instruções teóricas e práticas foram ministradas pelo superintendente da Guarda Portuária, José Tadeu Diniz, e por seu substituto Péricles Mosso, que buscaram agregar a experiência da Guarda Portuária às técnicas adotadas internacionalmente em instituições de segurança pública relativas a ações com emprego de aeronaves desse tipo.

Os agentes ainda tiveram instruções sobre atendimento pré-hospitalar com o Cabo PMERJ W. Lima, Instrutor e Socorrista Operacional do BOPE, e de Teoria do Voo, com o Major CBMERJ Amoreira, copiloto do Grupamento de Operações Aéreas. Além dos guardas portuários da CDRJ, também foram capacitados guardas portuários da Santos Port Authority e militares da Marinha e da Polícia Militar.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas