• Acordo para ponte entre Brasil e Paraguai é analisado

    O acordo para construção de uma ponte sobre o Rio Paraguai entre o município brasileiro de Porto Murtinho (MS) e o paraguaio Carmelo Peralta foi aprovado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado.

  • Arco Norte alcança competitividade global

    Com muito atraso e casos de corrupção, finalmente começa a ter forma uma nova economia brasileira. Com posicionamentos logístico e geográfico favoráveis; próxima aos grandes centros agropecuários e de mineração

  • Competitividade do Porto de Santos em risco

    Ao se realizar a dragagem do Porto de Santos com a Van Oord, através de um questionável aditamento através do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit),

  • Crescimento de vagas no Sul do País

    Diante de um cenário de grande competitividade e profissionais em busca de emprego e recolocação profissional a pergunta que permeia o universo do trabalho é: Mas afinal, onde está o emprego no Brasil? Segundo dados levantados pela Catho, ao longo do ano de 2019, o Sul do Brasil tem se mostrado a região mais aquecida em oportunidades

  • Fórum americano discutirá projetos portuários

    O 3º Fórum Latino-Americano de Portos - Latam Ports reunirá no Panamá, nos dias 11 a 12 de abril, autoridades portuárias, companhias de navegação, desenvolvedores de projetos de infraestrutura, empresas de construção, operadores de portos e terminais, investidores e funcionários de governo de Estados Unidos, México, Brasil, Chile, Colômbia, Peru e dos países da América Central.

  • O OEA como transformador no processo aduaneiro e no desempenho logístico

    Com foco em confiabilidade, segurança, conformidade e aplicação de gestão de riscos, o OEA vem convocar toda a comunidade, ou melhor dizendo, os intervenientes que atuam no comércio exterior, para firmar uma parceria, uma aliança para atuar em conjunto (Estado, iniciativa privada e profissionais) no combate ao terrorismo, ao crime organizado e às operações fraudulentas, a concorrência desleal em benefício da segurança da cadeia logística e de toda a sociedade

  • Perda de competitividade

    A importação de bens de capital (ou bens de produção) caiu 20% em 2015, isso significa que as indústrias estão investindo menos na modernização de suas plantas. A opinião é do presidente da Fiorde Logística Internacional, Milton Lourenço. E continua: "Se o poder de competição da economia nacional já é baixo, a queda na importação de bens de capital é motivo de preocupação, pois, como se sabe, o termo inclui fábricas, máquinas, ferramentas e equipamentos que são utilizados para produzir outros produtos. Em outras palavras: o parque industrial nacional a médio prazo pode ter o seu poder de competição ainda mais comprometido, deixando de incorporar novas tecnologias em sua manufatura."

    O empresário afirma que tudo isso é consequência da perda de competitividade das empresas como resultado da pouca integração da economia brasileira no mercado global, que se deu por completo desleixo das autoridades brasileiras, que, desde 1991, quando o Brasil se tornou membro do Mercosul, só conseguiram viabilizar três acordos de livre-comércio. "E, mesmo assim, com economias de pouca representatividade: Israel, Palestina e Egito. Desses, só o primeiro continua em vigor", declara.

     

  • Por que o Brasil não deslancha

    Com investimentos em infraestrutura da ordem de 2,18% do Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos 20 anos, segundo estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), está claro que o Brasil vai continuar por muito tempo a ser considerado um país atrasado.

  • Por que usar robótica no back office?

    O que faz os clientes voltarem a comprar ou usar um serviço de determinada empresa? Quem respondeu preço baixo, errou. Somente o preço, isoladamente, não é o suficiente para fidelizar o consumidor. Hoje em dia, se uma empresa ignorar a experiência de compra do usuário, com certeza, perderá mercado para a concorrência.

  • Produção Mais Limpa (P+L) – O pouco que você precisa saber

    A produção mais limpa faz parte da gestão ambiental empresarial. Sua metodologia está baseada no Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente que possui o objetivo de aumentar a eficiência global no uso de recursos e promover o desenvolvimento sustentável (ONU,2020).

    Como parte de uma estratégia ambiental, a empresa que utiliza o programa de produção mais limpa pode obter competitividade no mercado global por ser uma empresa “sustentável”.

    Aprenda um pouco mais sobre produção mais limpa e como aplicar em sua empresa.

  • Protagonismo na vida e na carreira

    Quando perguntaram a Freud sobre o que ele achava que uma pessoa normal deveria ser capaz de fazer bem, ele respondeu: “Lieben und arbeiten” (amar e trabalhar). Com essas duas palavras, o psicanalista mostra que o trabalho nos dá um lugar no tecido social, pois transcende a necessidade de sobrevivência fazendo de nós agentes transformadores da sociedade na qual estamos inseridos.

  • UEN - Unidade Estratégica de Negócio

    UEN (Unidade Estratégica de Negócio) consiste na forma adotada por muitas empresas que dividem suas atividades em unidades de negócios independentes, com resultados, estratégias e gestores distintos. Nestes casos, o planejamento estratégico é dividido em dois tipos de estratégia: estratégia corporativa e estratégia da unidade organizacional.

  • Uma revolução nos empregos vem por aí

    De tempos em tempos o mundo passa por grandes transformações. Estes momentos da humanidade trazem profundas alterações das relações sociais, na composição da cultura e na dinâmica da economia.