• Praticagem de São Paulo garante estabilidade nos preços das operações para armadores de cabotagem por cinco anos

    "Nesse momento em que o Governo está fomentando e atribuindo maior importância à navegação de cabotagem e enviou para o congresso o projeto da BR do Mar, e o próprio Senado apresentou um projeto liderado pela senadora Kátia Abreu, fazer esse acordo é uma forma de mostrar nosso apoio", disse o presidente da Praticagem de São Paulo, Carlos Alberto de Souza Filho

  • Presidente da Usuport-RJ critica concentração que eleva preço do frete na cabotagem

    O diretor-presidente da Associação dos Usuários dos Portos do Rio de Janeiro (Usuport-RJ), André de Seixas, contribui para os debates do Esquenta WebSummit Portogente falando a respeito da estratégia de atuação da entidade de classe em relação à navegação de cabotagem

  • Projeto de lei dos EUA incentiva construção naval dedicada à cabotagem

    O projeto também exige que parte das exportações americanas de petróleo bruto e de GNL(Gás Natural Liquefeito) sejam transportadas a bordo de embarcações de bandeira norte-americana, especificamente 10% das exportações de petróleo americano após 2032 e 15% das exportações americanas de GNL após 2040 

  • R$ 15 milhões para construção de navios

    A companhia de navegação Posidonia, especializada no transporte de cargas na costa brasileira (cabotagem) e longo curso, acaba de investir cerca de R$ 15 milhões na construção e recuperação de navios para atender a demanda de projetos de infraestrutura.

  • Suape entre os cinco maiores portos públicos do País

    O Porto de Suape, em Pernambuco tem demonstrado em números sua força no cenário nacional. De acordo com dados divulgados nesta semana pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), o atracadouro pernambucano é líder na movimentação entre os portos públicos do Nordeste, com um total de 23,6 milhões de toneladas movimentadas, e quinto no ranking nacional (+3,9% em relação a 2016).

  • Uma breve história da cabotagem no Brasil

    Desde a segunda metade do Século XIX até a década de 1930, o Brasil experimentou excelentes e pioneiras iniciativas na navegação de cabotagem e na indústria naval que, infelizmente, sucumbiram ante a políticas equivocadas e a burocracia