Caros leitores,

 

Hoje, falaremos da integração modal na ferrovia

 

*************************

 

A ferrovia chega onde seus trilhos terminam por isso necessita de combinação com o caminhão para realizar o transporte porta–a–porta que o cliente deseja.

 

Essa integração só pode ser realizada em terminais dentro dos pátios ferroviários, onde com instalações e equipamentos adequados os produtos e mercadorias possam ser transferidas com rapidez, qualidade e um baixo custo.

 

Como estação ferroviária não é um terminal de transbordo, as concessionárias devem utilizar os espaços disponíveis ao longo das linhas para conseguir captar parte da carga para o transporte ferroviário, através da construção de terminais de transbordo especializados para cada tipo de mercadoria.

 

Como o número de terminais integrados à ferrovia é muito reduzido, as concessionárias deverão investir em parceria com seus clientes para aumentar essa quantidade, pois os investimentos realizados entre 1996 e 2007 ainda não deram prioridade aos terminais.

 

 

Ponte Ferroviária utilizada pela Ferrovia Portuguesa

 

Na Europa, Portugal tem utilizado a integração para aumentar a captação de carga para a ferrovia utilizando o conceito de shuttle. Na França, as estações ferroviárias foram transformadas em terminais de carga com a instalação de equipamentos de transbordo.

 

Outro fator positivo do transporte integrado é a transferência de tecnologia (sistema de informação, controle de armazenagem, cross – docking, canais de distribuição, atendimento pós – venda, etc.) muito presente nos operadores logístico as quais poderão migrar para o setor ferroviário.

 

A ferrovia americana criou a conexão ferroviária entre a Costa Leste e a Costa Oeste como alternativa ao fluxo congestionado do Canal do Panamá utilizando terminais e equipamentos adequados. O serviço ferroviário permite atender os portos e as grandes cidades americanas com trens expressos de contêineres, equipados com vagões “double stack”, com grande escala transporte, que reduz significativamente as tarifas e o tempo de viagem.

 

Vagões “double stack” das ferrovias americanas. Fonte: AAR

 

A ferrovia americana é bem integrada, enquanto o número de terminais da ferrovia brasileira com os outros modos de transportes está na ordem 3 a 4 centenas, os números das ferrovias americanas somam milhares de terminais.

 

Fonte: National Transportation Atlas/CNT – 2003

 

Outro conceito importante para integração do modal é a parceria com as transportadoras rodoviárias, a exemplo da ALL-Delara, pois essa associação resulta em atendimento coordenado e um comprometimento entre os serviços oferecidos individualmente pelos transportadores em cooperação. Isto é, mesmas características de custo e desempenho entre os transportadores participantes.

 

A integração com operadores rodoviários é importante, pois a ferrovia não tem sempre os trilhos conectados a todos os clientes e para por isso elaboram acordos recíprocos dos transbordos com outras estradas de ferro e empresas rodoviárias que servem a esses pontos.

 

Referências bibliográficas

BALLOU, Ronal H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento, organização e logística empresarial. 4.ed, São Paulo: Bookman, 2001. 532 p.

 

American Association of Railroads: <http//www.aar.org>.

Mercer Management Consulting – Portugal,2005.

 

Um Estudo Sobre a Participação do Modal Ferroviário no Transporte de Cargas no Brasil, dissertação de mestrado UFSC, Sílvio dos Santos -2005.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente