No Ano Internacional do Turismo Sustentável, decretado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2017, duas entidades já se adiantaram e estão com planos conjuntos para as estâncias paulistas. Fresp (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo) e Aprecesp (Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulo) firmaram convênio no final de 2016 para promoverem ações visando o desenvolvimento do turismo rodoviário nas cidades estância.

Além do apoio mútuo, está prevista a criação e implementação de roteiros diferenciados nas estâncias participantes, além de foco em públicos específicos, como estudantes e idosos. A acessibilidade também está na pauta, permitindo passeios aos turistas com necessidades especiais. A assinatura do termo já resultou no início de um estudo conjunto para o desenvolvimento de um prêmio destinado a estudantes de Turismo que contemplarem em seus projetos de conclusão de curso as estâncias do Estado de São Paulo e o turismo rodoviário.

“Esse tipo de ação enriquece o turismo e fortalece as iniciativas sustentáveis, visando o desenvolvimento individualizado das estâncias do Estado de São Paulo, valorizando as peculiaridades de cada uma”, pontua Regina Rocha, diretora executiva da Fresp. Para o gerente executivo da Aprecesp, Fernando Zuppo, a parceria é uma oportunidade de divulgar as belezas das cidades turísticas, “com sua gastronomia, suas praias e demais atrativos a preços mais acessíveis e de maneira bastante confortável. Diante do cenário atual, as viagens regionais têm crescido, bem como os fluxos de turistas dentro do próprio Estado de São Paulo, que utilizam as estradas paulistas como principal via de deslocamento. E, com o aumento da demanda por viagens rodoviárias, a oferta de ônibus especiais, com ar condicionado, bastante seguros, certamente atenderá às necessidades de uma grande parcela da população”.

Consciente
A sustentabilidade está em toda a concepção das viagens idealizadas pela Fresp e Aprecesp: tanto no trajeto feito coletivamente, via fretamento, onde os turistas dispõem de todo conforto do transporte profissional, quanto nos destinos: estâncias paulistas são cidades com características naturais e culturais particulares. No Estado, são 70 cidades estância, divididas entre balneárias (15), climáticas (11), hidrominerais (12) e turísticas (32).

Quanto melhor o uso do espaço público, maior a preservação delas. Os esforços de Fresp e Aprecesp vão de encontro às intenções da Organização Mundial do Turismo (OMT), órgão da ONU que defende “ampliar a compreensão e conscientização da importância do turismo no compartilhamento do patrimônio natural, cultural e na distribuição da riqueza proporcionada pelas viagens”.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente