Pronta a compor a oferta do segmento de turismo de natureza e aventura no País, a província de Chaco, no Nordeste da Argentina, aproveitou a Adventure Sports Fair, encerrada neste domingo (16), em São Paulo, para detalhar o projeto de inauguração do El Impenetrable. O parque, com 1.250 hectares de área e dono de uma vegetação natural, intacta e fechada, é a nova aposta da região para estimular o ecoturismo e conta com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que já aportou US$ 5 milhões na fase do Plano Master, a ser completada em abril do próximo ano. Esse plano é um catálogo que destaca o potencial turístico de Chaco, visa atrair novos investidores e demonstra a gama de incentivos de governo que a província tem a oferecer aos futuros parceiros.

Além da desapropriação da área do parque, o governo local também destinou US$ 150 milhões para obras de infraestrutura que passam pela construção de rodovias, pavimentação de atuais vias de acesso, incluindo a utilização de verbas em setores estratégicos como saúde e educação.

Mateo Daniel Capitanich, vice-governador de Chaco, que esteve no Brasil na última semana para fazer pessoalmente a apresentação do projeto do novo parque, assegurou que a estrutura turística local está sendo incrementada. “Estamos preparando nossa hotelaria, agências de receptivo, segmento gourmet para fazer frente à proposta de transformar a província em importante polo de turismo natural da Argentina”, afirmou. Mas, segundo Capitanich, a preocupação é assegurar crescimento econômico combinado ao extremo cuidado com a questão ambiental.

A largada foi dada com a planta do Centro de Interpretação da Cultura e da Biodiversidade, no município de Miraflores. Lá se reproduzirá todo o percurso e a experiência com as formas de vida do El Impenetrable e igualmente manterá nove postos de serviço ao visitante, relacionados a pontos turísticos de maior relevância de Chaco.

Para cativar o brasileiro
Adrián Contreras, que responde pela coordenação das ações em torno do parque nacional El Impenetrable, reitera que Chaco conta com fortes atrativos à disposição do turista brasileiro. De acordo com ele, somam-se aos parques – a partir de agora dois nacionais e cinco estaduais – a pesca esportiva do Dourado, com devolução; o Campos de Cielo – que abriga o segundo maior meteorito do mundo, com 35 mil quilos; a Bienal das Esculturas que atrai para Resistência, a capital da Província, escultores e visitantes de todas as nacionalidades para conferirem de perto as 650 esculturas, de todos os tamanhos, espalhadas pelas vias públicas. Da mesma forma integram o apelo ao turista, conforme Contreras, a intensa vida noturna e cultural de Resistência, com música e gastronomia baseada em pescados e carnes; a vocação para eventos e capacidade para abrigar encontros de grande porte; completando com o artesanato em madeira entalhada, feito por aborígenes e crioulos descendentes dos povos originários de Chaco.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente