Economia e Transporte, a importância do transporte marítimo para a economia global

 

Economia e Transporte requerem uma análise de forma sintética, em separado, para que se possa avançar em direção à construção do entendimento básico desse binário de forças globais. Hoje, a economia é uma ciência pertencente à grande área das Ciências Sociais Aplicadas, segundo a classificação apresentada na Tabela de Áreas de Conhecimento do CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Para chegar a esse ponto, a economia percorreu um caminho marcado por empréstimos aos estudos da filosofia, da história, da sociologia e da política. Enquanto amadurece, surgem teóricos e pensadores influentes que contribuem para o estabelecimento de correntes econômicas importantes. No passado, os expoentes da escola clássica, Willim Petty, Adam Simth e David Ricardo consolidaram a chamada economia política. A Economia, simplesmente Economia, como hoje é considerada, se divide em Macroeconomia e Microeconomia. Ambas se dedicam aos estudos e formulações de novas teorias para melhor se aproximarem da exatidão intrínseca aos fenômenos econômicos. Todavia, o mercado é o grande palco no qual acontece a validação desses esforços científicos que, por mais modernos que sejam, não fogem da simplicidade da lei da oferta e da procura.

Economia e transporte, oscilações econômicas.Na busca pelo atendimento das necessidades humanas, inerentes à sobrevivência e aos processos evolutivos, surgem fenômenos econômicos que se projetam, com facilidade, das dimensões individuais para as dimensões globais, perpassando realidades distintas nos âmbitos locais, regionais e continentais em múltiplas características geográficas. O empenho humano em ter o de que precisa, movimenta a sociedade que clama, que busca, que estuda, que produz, que acumula, que transporta e que negocia, fomentando todo tipo de mercado ao redor do mundo. Em resumo, a abundância do que uma região produz ou possui pode suprir a escassez de outra região. Assim sendo, entra em cena a Economia dos Transportes cujo mote é conectar mercados por meio do transporte de pessoas e produtos no momento e na quantidade desejada, com o menor impacto possível sobre a composição de custo, valor e preço.

Economia e transporte, oscilações dos sistemas de transporte.O que torna um sistema de transporte operacional é a resposta às variáveis de tempo (prazos), quantidades (volume e peso) e lugares (distâncias e altitude). Um sistema de transporte deve:

  • ter capacidade para suportar pesos, formas e condições de conservação, o que inclui espaço adequado, abrigo, proteção, resistência estrutural e sistemas de suporte;
  • ter desempenho para ser ágil, o que inclui o uso racional de combustível, um sistema de propulsão adequado e autonomia para vencer distâncias e altitude; e
  • trafegar no ambiente, o que inclui a geografia implicada, a infraestrutura necessária e as características veiculares adequadas.

Nas condições ideais de capacidade e desempenho, se estabelece a disponibilidade: o quanto o meio de transporte contribui efetivamente para a manutenção constante da conexão entre mercados. Nas condições ideais de capacidade de carga para o ambiente em que trafega, se estabelece a governabilidade que permite chegar ao local exato por meio de rotas fixas ou livres. Nas condições ideais de desempenho no ambiente em que se desloca, se estabelece a confiabilidade que abrange a segurança e a integridade de bens e pessoas. Avaliando-se essas três questões, é possível a determinar, dentre os modais com qual será realizada a operação de transporte.

 

Economia e Transporte reúnem pessoas
das mais diversas atividades profissionais.

 

Raramente, uma operação de transporte será plenamente atendida por um único modal, não obstante, reside sobre o transporte aquaviário, e mais especificamente sobre o transporte marítimo as maiores grandezas, além das características de flexibilidade e controle das operações em parceria com a chamada rede de transporte.
Aspectos da economia dos transportes que traduzem os efeitos de escala produzidos pelo transporte marítimo em economia de rede:

  • Economia de presença de mercado – a carga e a descarga de uma embarcação resultam num alto grau de conectividade de um grande número de serviços diretos e indiretos;
  • Economia de custos – a relação de custo-benefício é extremamente elevada nesse modal em comparação com os demais;
  • Economia de escopo – a multiplicidade de destinos na escala de uma embarcação não compromete sua operação e amplia a capacidade de serviços; e
  • Economia de densidade – a alta disponibilidade do setor de transporte marítimo suscita a redução de custos em função da intensidade de uso.

A consolidação das estatísticas internacionais do transporte marítimo é complexa e são consolidadas em ciclos de 5 anos pela Organização das Nações Unidas - ONU. A UNCTAD – United Nations Conference on Trade and Development, órgão da ONU, produz mais de 150 indicadores e séries temporais estatísticas essenciais para a análise de:

  • Comércio internacional
  • Tendências econômicas
  • Investimento estrangeiro direto
  • Recursos financeiros externos
  • População e força de trabalho
  • Commodities
  • Economia da informação
  • Transporte marítimo

 

Economia e Transporte movimentam
grandes somas de capital internacionalmente.

 

O transporte marítimo também sofre com os reflexos daqueles fatores presentes nos indicadores referenciados pela UNCTAD. Porém, os itens a seguir, de fácil compreensão, permitem alcançar a magnitude do transporte marítimo e dispensam a ponderação de vantagens e desvantagens em comparação com outros modais:

  • Absorve 90% da movimentação de mercadorias no mundo, o que em 2017 representou 62 bilhões de toneladas brutas (1 t bruta = 2,83 m³);
  • A taxa de crescimento do volume transportado, ainda que esteja na casa das unidades, é extremamente representativa;
  • O custo da tonelada transportada por milha navegada, em média, é dez vezes menor do que nos demais modais;
  • A atividade conta com práticas internacionalizadas que asseguram produtividade e segurança nas operações e nas expedições marítimas; etc.


Economia e transporte, tráfego marítimo mundial em tempo real.

O transporte marítimo tem avançado em eficiência energética e na redução dos impactos ambientais à medida que a tecnologia avança. Pode ser estudado a partir dos principais tipos de navios e de suas cargas, a saber:

  • Navios graneleiros, de granel sólidos e líquidos;
  • Navios de carga geral;
  • Navios porta contêineres;
  • Navios de passageiros; e
  • Navios especializados

No mais, nas palavras de Ban Ki-moon, instiga-se o leitor a prosseguir no estudo do tema: “O transporte marítimo é a espinha dorsal do comércio e da economia global. Todas as pessoas no mundo se beneficiam desse transporte, mas poucas percebem isso. Nós enviamos alimentos, tecnologia, medicamentos e memórias. Como a população mundial continua crescendo, especialmente nos países em desenvolvimento, o transporte marítimo eficiente e de baixo custo tem um papel essencial no crescimento e desenvolvimento sustentável’’, acrescentou, ressaltando que “essa é uma história que precisa ser contada”.

Referências:
ONU, UNCTAD Handbook of Statistics 2018 - Maritime transport
http://www.guiamaritimo.com.br/noticias/maritimo/top-25-da-navegacao-mundial (último acesso em 14/07/2019)
https://brasilescola.uol.com.br/geografia/transportes.htm (último acesso em 19/06/2019)
https://www.resumoescolar.com.br/geografia/transporte-maritimo (último acesso em 02/07/2019)

Autora:
Fabiana Fagundes Barasuol
( Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. )
Colaboração:
Dorival Barros Trindade Filho
https://www.linkedin.com/in/dorivaltrindade )

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s