Várias cidades italianas estão disputando "a tapa" o direito de sediar o desmonte do Costa Concordia. A milionária operação renderá muitos dividendos ao local escolhido.

Leia também
* Artigo - Do Titanic ao Costa Concórdia: cem anos de segurança da navegação marítima

Até o momento, a cidade de Palermo é a favorita. O prefeito local já faz campanha: "fazer isso aqui em Palermo é a escolha lógica, devido aos baixos custos da cidade se comparados com o das concorrentes".

Além de Palermo, outras cidades como Piombino, Nápoles e Gênova também disputam a operação de desmanche, mas a capital siciliana é a única que já tem as instalações adequadas – as demais precisariam construir estaleiros e docas especialmente para o desmonte.

Imagens: AFP

Profissionais inspecionam o lado da embarcação que ficou submerso desde janeiro de 2012

O Costa Concordia atraiu os holofotes de todo o planeta nesta semana, gerando imagens impressionantes após ter sido endireitado em um trabalho hercúleo e muito planejado, que envolveu mais de 500 profissionais.

O desmonte exige instalações marítimas com capacidade para centenas de toneladas, geralmente usadas na construção de plataformas petrolíferas.

Além de ser um negócio milionário, as operações que darão um fim ao Costa Concordia devem gerar centenas de empregos por um período superior a seis meses.


Imagens de satélite mostram o Costa Concórdia antes e depois da operação

O navio só será rebocado para o porto de desmonte "depois da primavera", disse o jornal, citando o diretor das operações de rotação da embarcação, Nick Sloane.

As informações são do UOL Notícias.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s