“Eu nasci para isso. Sei que fui cunhada para isso”. A frase de Cinthia Fortes Zanetti, 52 anos, resume bem o que essa mãe de quatro filhos pensa de sua vida, que inclui uma longa relação com a vida portuária. Hoje, ela comanda a Pinacoteca Gaffreé e Guinle e o Complexo Cultural do Porto de Santos, além de ser dona de uma empresa que promove eventos, a Santos Trade Convec. Essa história de sucesso mostra que mesmo em um ambiente predominantemente masculino, as mulheres conquistaram seu espaço, com muito suor e histórias para contar.

 

Ambiente

Desde 1973 no setor portuário, Cinthia é uma das remanescentes da segunda turma de mulheres contratadas pela então Companhia Docas de Santos (CDS). Ela entrou na docas como escrituraria, tendo acumulado experiência suficiente para conseguir diversas promoções no setor.


Para quem pensa que a família de Cinthia a influenciou na escolha de sua profissão, ledo engano. “Minha mãe era dona de casa, o que era comum naquele tempo, e meu pai era funcionário público. Eu resolvi fazer o concurso e passei com mais 15 mulheres. E éramos 15 entre 20 mil funcionários. Depois de um tempo acabei me acostumando com o ambiente”, completa aos risos.


Com quase 33 anos de experiência no setor portuário, Cinthia fala sobre as diferenças de se trabalhar na CDS – até 1980 – e na Codesp, desde a década de 80.

Clique aqui para saber mais

 

Cultura e Porto

Um dos orgulhos da carreira de Cinthia na Codesp foi a instalação de um complexo cultural dentro da sede da estatal. Em um espaço que antigamente abrigava um barracão, foi erguida a Pinacoteca Gaffreé e Guinle. “Eu tenho um amor particular pelas artes e, em 1998, o então presidente da Codesp, Paulo do Carmo, me chamou para montar uma pinacoteca aqui, pois ele também era um apaixonado por arte em tela. Como eu já cuidava da biblioteca mesmo, aceitei o desafio”.


Em 28 de janeiro de 1999 o trabalho de mais de oito meses foi recompensado com a abertura oficial da Pinacoteca para que os amantes da arte tivessem mais um local para apreciação de diversas obras. “Corri durante meses atrás de todos os museus que estavam ao meu alcance, para tentar entender luz, estrutura, enfim, tudo que eu teria que usar em Santos”.

 

Vida Pessoal

Mãe de um rapaz de 26 anos, que estuda e mora em São Paulo, Cinthia Zanetti foi pega de surpresa há dois anos, quando descobriu que estava grávida. E de trigêmeos! “Eu fiquei chocada, tomei um susto”.


A maior preocupação da empresária era com sua vida pessoal após o nascimento das três meninas, já que trabalho era seu lema de vida. “Eu não me importava de ficar até meia-noite no serviço por causa de uma emergência, mas hoje eu não posso fazer isso”.


Cinthia cita um caso que aconteceu no final de semana passado como exemplo de sua mudança. Ela reserva o final de semana para suas filhas e seu marido, mas no último sábado ela teve um compromisso inadiável. “Combinei comigo mesmo que trabalharia somente das oito da manhã até o meio-dia. O resto do dia foi dedicado para elas, passeando e fazendo companhia. Eu me surpreendo ao ver que estou conseguindo separar a vida pessoal da profissional”.

 

Conselho

Quando questionada se recomendaria ou não para uma menina de 17 anos de idade tentar um emprego em alguma área ligada a porto, Cinthia Zanetti não fugiu do tema e deu sua opinião a respeito do tema.

Ouça clicando aqui

 

E na Semana Internacional da Mulher, essa é a nossa homenagem à entrevistada e a todas as mulheres que trabalham no Porto de Santos. Veja a mensagem que Cinthia deixou para todas as usuárias do site.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente