Colisão entre navio de grande porte e atracadouros de balsas levanta questão para encaminhamento da obra do túnel imerso na região do Porto de Santos, opção mais viável e segura para a ligação seca

O grave acidente ocorrido neste domingo (20/6), quando um navio de grande porte colidiu e destruiu atracadouro de balsas causando a interrupção de travessia Santos-Guarujá, reforçou a necessidade de agilidade na definição pelo encaminhamento da obra do túnel imerso entre os municípios, considerada alternativa mais segura e eficiente para a ligação seca na região do Porto de Santos. O Ministério da Infraestrutura apresentará uma decisão sobre a obra, ponte ou túnel, até setembro.

navio acidente

Segundo o conselheiro da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Santos e porta-voz da Campanha Vou de Túnel, Eduardo Lustoza, o projeto do túnel imerso é o único que atende e cobre todas as questões relacionadas à segurança, pois não cria uma barreira física no canal de navegação.

Lustoza, que é consultor portuário há 40 anos, explica que uma ponte na região aumentaria o risco de acidentes, já que pode prejudicar a manobrabilidade dos navios e causar colisões nas áreas de manobra".

"Por sorte, a balsa não estava carregada de pessoas e nem de veículos, o que poderia significar uma tragédia com consequências sérias para o armador e, principalmente, para a população da Baixada Santista. Se existisse um pilar de uma ponte no trajeto deste navio, ou atingisse um outro navio petroleiro, a tragédia teria dimensões maiores e poderia interromper a navegação no principal porto do país, com prejuízos severos para a operação do Porto de Santos", defende Lustoza.

De acordo com ele, o serviço de balsas voltado para passageiros e ciclistas são embarcações lentas que operam na curva do canal e deve ser imediatamente substituído pelo túnel imerso, especialmente, pela questão da segurança dos usuários, mas também por promover a inclusão social e sustentabilidade ambiental e econômica. "Além de mais seguro, a escolha deste modal promove a mobilidade urbana já que permite a integração de ciclovias e conta com uma via exclusiva para o Veículo Leve sobre Trilhos, reduzindo o tempo de deslocamento com o transporte público", explica.

acidente porto de santos 750x500 1

O engenheiro naval e ex-presidente da Autoridade Portuária de Santos, Casemiro Tércio de Carvalho, lembra que a experiência internacional atesta que a ligação seca nos portos do mundo é imersa. "Não existe ponte em rota de navegação nos principais portos espalhados pelo globo. Inúmeros são os exemplos de países que têm apostado na construção de tuneis em detrimento de projetos considerados obsoletos do ponto de vista da segurança e que inviabilizam a passagem de navios maiores", completa.

Segundo Carvalho, o projeto do túnel imerso entre Santos e Guarujá é a única opção viável para a ligação seca entre os municípios e que segue as recomendações da PIANC (Associação Mundial de Infraestrutura de Transporte Marítimo) que indica a ligação via túnel como a melhor alternativa.

O presidente da UVEBS (União de Vereadores da Baixada Santista), vereador Betinho Andrade, lamentou o acidente que destruiu um atracadouro na margem esquerda (Guarujá) do Porto de Santos e também defendeu o túnel imerso como a melhor alternativa para a ligação seca às margens do maio porto da América Latina. "É inadiável a ligação seca entre Santos e Guarujá e a única opção é via túnel", afirmou. "Imagine se tivéssemos uma ponte ali", completa.

Campanha Vou de Túnel
A campanha 'Vou de Túnel', criada por um pool de empresas que defendem que o túnel imerso é a melhor alternativa para a ligação seca, conta com apoio popular. A petição online disponível no site do movimento já recebeu quase 4,5 mil assinaturas desde o lançamento do movimento. A petição online pode ser assinada no endereço: https://bit.ly/2Ht0aPY

Além disso, o pool de empresas que apoia a causa é formado por cerca de 60 instituições que associam a sua marca ao movimento. A campanha tem promovido ações pontuais nas ruas dos municípios da Baixada Santista para conversar com a população sobre as vantagens do projeto túnel imerso, tanto em relação à mobilidade urbana e qualidade de vida, quanto para o desenvolvimento do Porto de Santos, já que o túnel possibilita a expansão dos negócios e a geração de emprego e renda.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente