Bate-papo online entre os executivos destacou as medidas adotadas pelas companhias para enfrentar a Covid-19 no Brasil e a importância do país na cadeia global de suprimentos

A Hidrovias do Brasil e a ZRG Brasil, empresa global de executive search, realizaram, no dia 3 último, uma live para discutir o cenário econômico brasileiro e internacional, a partir da pandemia do novo coronavirus (Covid-19) e o setor de logística e transportes no Brasil. Entre os temas abordados, Denys Monteiro, CEO da ZRG, conduziu a conversa com o chairman da Hidrovias do Brasil, Bruno Serapião, para debater sobre as previsões de investimentos a longo prazo e a importância do país na cadeia global de suprimentos.

Logística Freepik

O chairman da Hidrovias do Brasil, Bruno Serapião, destacou as características da economia brasileira, que é fortemente baseada no consumo das famílias. Com a pandemia, o consumo diminuiu, enfraquecendo o caixa de diversos segmentos. Mesmo com a previsão de encolhimento da economia brasileira em torno de 3% para este ano, Serapião está confiante com a retomada do crescimento em 2021. Segundo o executivo, "a pujança do Brasil na produção de minérios, grãos e celulose será força motriz para a rápida alavancagem nos números da economia."

Apesar do cessar das atividades não essenciais durante o período de isolamento social, a logística e transporte, serviços considerados essenciais, continuam em plena atividade para suprir a cadeia global de suprimentos. Por conta disso, a Hidrovias do Brasil celebra sua ininterrupção nas atividades, junto à sua estabilidade econômica, com boas projeções de retorno de investimento ao longo dos anos.

Para os próximos anos, Bruno ressalta a expectativa de grandes investimentos privados na infraestrutura e logística brasileira. Segundo o executivo, fundos internacionais avaliam o Brasil como um mercado promissor, com projeções otimistas e pleitos de longo prazo.

O CEO da ZRG, Denys Monteiro, compartilha do otimismo de Serapião e acredita que a retomada da economia será mais rápida do que muitos imaginam. "O Brasil tem a oportunidade de se reposicionar na matriz de Supply Chain Global e aproveitar o momento para sair fortalecido não apenas nas commodities agrícolas, mas em outros segmentos também", comenta o executivo. Prova disso, segundo Monteiro, é que a procura na ZRG por profissionais de infraestrutura cresceu 120% nos últimos 6 meses. "É hora de aproveitar as oportunidades. Empresas como a Hidrovias estão muito bem posicionadas para crescer", acrescenta Denys Monteiro.

Ações para enfrentar a Covid-19
Para amenizar o impacto social da Covid-19 na sociedade brasileira, o Instituto Hidrovias, organização de responsabilidade social da Hidrovias do Brasil, tem um histórico de contínuo apoio às comunidades em que atua. Além dos programas de fomento à Educação já implementados, o Instituto realizou recentemente a doação de equipamentos hospitalares, cestas básicas e uniformes hospitalares para Itaituba, Belém, Barcarena, no Pará, e em Santos (SP), para o enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19).

Sobre as medidas para prevenir o contágio da Covid-19 entre os colaboradores, a Hidrovias do Brasil adotou o sistema de home office para a maioria de seus funcionários, com exceção do serviço operacional, que opera em escalas alternadas, seguindo as orientações de segurança do Ministério da Saúde. A rápida adaptação ao distanciamento social foi possível pela vasta automatização dos sistemas da empresa, que emprega alta tecnologia em suas atividades.

Para os próximos anos
Em um futuro próximo, Serapião aposta em um massivo investimento na matriz de transportes do Brasil: "É essencial a criação de grandes corredores logísticos, principalmente para as cargas de baixo valor agregado por peso em ferrovias e hidrovias", afirma o chairman. Para o executivo, o barateamento da logística gerará mais dinheiro para os sistemas produtivos do Brasil, ao diminuir a expressiva representativa do modal rodoviário no transporte de cargas.

A empresa possui ainda projetos audaciosos para a próxima década, em linha com as últimas práticas mundiais de sustentabilidade. A Hidrovias do Brasil estuda implementar uma operação livre de combustíveis fósseis, com a adoção de barcos híbridos em sua operação. Além disso, a empresa já emprega alta tecnologia no recebimento de grãos e minérios dos caminhões no Norte do país; a aplicação de IoT (Internet of Things) vem diminuindo categoricamente o tempo de recebimento dos produtos, reduzindo o tempo de frete.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente