Estudos e análises para a criação e instalação de novas linhas aéreas tendo o Aeroporto Municipal Engenheiro Serafim Enoss Bertaso, de Chapecó, como ponto de partida ou de escala, foram solicitados pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (Acic) ao presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson.

Acic ChapecóAcic pede a manutenção dos atuais voos para Campinas (SP) e Florianópolis (SC)
e a criação de outros. Foto: Divulgação.

A reivindicação da associação está embasada no visível aumento da demanda registrado em todas as companhias aéreas que operam em Chapecó e nas frequentes manifestações de usuários em favor de outras alternativas de ligações com as capitais e principais centros econômicos do sul, sudeste e centro-oeste brasileiro.

A entidade pede a manutenção dos atuais voos para Campinas (SP) e Florianópolis (SC) e a criação de outros.

No expediente encaminhado à empresa de transporte aéreo, o presidente Cidnei Luiz Barozzi expõe que, na condição de polo econômico, político e cultural de uma vasta região, formada por 200 municípios e 2 milhões de habitantes, Chapecó catalisa uma grande e crescente clientela das linhas aéreas.

Essa condição é atestada pelo registro de embarques, desembarques, aterrissagens e decolagens. Essa clientela – atualmente da ordem de meio milhão de passageiros/ano – será fortemente ampliada com a oferta de novas rotas, novos horários e novos destinos.

A Acic também enfatiza que uma série de eventos econômicos – como as exposições e feiras Mercoagro, Fetranslog, Mercomóveis etc., além de feiras e eventos do agronegócio – potencializa a presença de visitantes a Chapecó, vindos do Brasil e do exterior, oportunizando bons negócios e intensificando a procura por transporte aéreo.

Atualmente, além da Azul, a GOL também mantém operação comercial regular em Chapecó.

Um fato que deve impulsionar o setor é a privatização do Aeroporto, de propriedade do Município. A Prefeitura de Chapecó já obteve a anuência da Secretaria da Aviação Civil (SAC) e do Governo de Santa Catarina para realizar o processo de concessão da administração do Aeroporto para a iniciativa privada. O edital que estabelece as exigências e as condições para a concessão está em análise no Tribunal de Contas do Estado. Um dos aspectos que a ACIC julga positivo é o compromisso do concessionário em fazer investimentos iniciais da ordem de R$ 10 milhões no aeródromo.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s