O governo e os empresários chineses estão de olho no setor produtivo do Brasil, especialmente no Espírito Santo que já inaugurou uma rota comercial direta entre os portos de Vitória e de Zhuhai, na província de Guangdong. Para atrair o setor produtivo capixaba, um evento de negócios fechou a agenda da missão chinesa nesta terça-feira (11), em Vitória, fazendo uma apresentação comercial sobre a Expo China-América Latina, que será realizada de 9 a 11 de novembro deste ano em Zhuhai.

Leia também

O avanço da CMA CGM e os obstáculos logísticos para a América do Sul

O presidente da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), Luis Claudio Montenegro, e a diretora Mayhara Chaves participaram da agenda junto com autoridades estaduais, empresários, produtores rurais, representantes de sindicatos e de federações da classe empresarial e muitos prefeitos do interior do estado. A missão chinesa passou o dia na capital do Estado em reuniões com diversos setores, sendo recebida pelo governador do Estado, Paulo Hartung.

No evento à noite, o secretário da zona franca de Rein Tchin, na província de Guangdong, Nin Jin, apresentou as oportunidades que o país oferecerá aos que participarem da Expo China-América Latina. O governo chinês disponibilizará estandes e toda estrutura de apoio logístico para atender aos expositores.

O representante da Câmara Comércio Brasil-China no Espírito Santo, Carlos Eiras, enfatizou a importância do fortalecimento comercial entre os dois países, como oportunidade de desenvolvimento econômico para o estado. Já o vice-governador do estado, César Colnago destacou a realização da Expo China-América Latina “como passo fundamental para estreitar os laços comerciais e culturais entre o Espírito Santo e a cidade de Zhuhai”.

O presidente da Federação Capixaba do Comércio (Fecomércio), José Lino Sepulcri, aposta num futuro promissor para o setor produtivo. O secretário de Estado de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo, listou produtos que podem ser comercializados na China: minério, pelotas, aço, celulose, rochas ornamentais, confecções e o setor de agronegócio (café, mamão, frutas), dentre outros.

A missão da China, liderada pelo vice-governador da província de Guagdong, Guo Yuanqianq, explicou que o objetivo do governo de seu país é expandir a cooperação técnica, industrial e comercial entre os países, além de promover o intercâmbio cultural e científico.

O dirigente citou uma frase do presidente da República Popular da China, Xi Jinping, para resumir o interesse em fortalecer o intercâmbio com as Américas: “As relações entre a China e os países da América Latina estão no melhor período da história e em um novo ponto de partida histórico€.