Eunice Vitiello é sócia da Imprenditore Gestão Estratégica Empresarial

Esta prática de decisões colegiadas é muito comum em sociedades ou em conselho de empresas. Decisões colegiadas são pautadas por um trinômio: equilíbrio de poder/ bem comum/ concessões recíprocas.

O equilíbrio de poder visa equalizar dois fatores opostos: Um sócio ou uma pessoa do conselho com grande poder de persuasão e que leva os outros a tomarem decisões com base nas suas expectativas. E o outro tipo de personalidade que é aquela que sucumbe à decisão dos outros, concorda e depois se sente mal com aquela decisão ou quer voltar atrás porque não pensou direito.

O bem comum é o bom senso: É quando se toma uma decisão pensando no bem da empresa e não em ter a última palavra ou levar em conta exclusivamente as próprias perspectivas para o negócio. Se o negócio tem sócio ou tem um conselho, todos ali têm de dar o seu voto e tem de ser um voto comum, por que qualquer decisão vai afetar todos os membros e o resultado da empresa.

As concessões recíproca nada mais são que o resultado dos primeiros fatores. Todo mundo terá de fazer algum tipo de concessão, para o bem maior, que é o resultado da empresa. Este é um exercício extremamente interessante, por ter um grande impacto no dia-a-dia da empresa e, principalmente nas reuniões de conselho e de diretoria.

Toda vez que se toma uma decisão colegiada levando-se em conta o equilíbrio das personalidades, o bem comum e concessões recíprocas, se cria um ambiente de confiança. Ou seja, todos os envolvidos terão consciência de estarem fazendo concessões para um bem maior.

Todos estarão conscientes de que estão tomando decisões com base nos seus critérios e que tudo o que foi decido pelo grupo será cumprido por todos os membros, cientes do bem maior e do propósito da decisão: Bem da empresa, crescimento da empresa, continuidade dos negócios, bem-estar de toda a comunidade da empresa.

Quando isto não acontece e um dos membros é persuadido, há uma tendência natural, em algum momento do processo, à mudança de ideia e a não querer mais agir daquela forma ou tomar aquela decisão anteriormente acordada. Isto ocorre porque não foi uma concessão consciente com base no bem comum, na melhoria dos processos e da continuidade da empresa.

Quando você tiver de tomar uma decisão na sua empresa em que tenha a necessidade de discutir com os sócios ou em um conselho, leve em conta o trinômio: equilíbrio de poder, bem comum e concessões recíprocas.

Faça este exercício. Faça perguntas para saber se as decisões estão atendendo a este trinômio, e você experimentará um estado de confiança e resolução de conflitos que proporcionará decisões mais assertivas. É um assunto de vital importância em uma empresa onde existe sociedade, porque a confiança e a tranquilidade, não só para os sócios, também para os funcionários e isso faz toda diferença.

É mais difícil conseguir a colaboração dos funcionários, quando o dono ou sócios, deixam transparecer que em algum momento não há uma coesão com as decisões que são tomadas. Então, pratique este exercício e você verá uma grande diferença no dia-a-dia dos seus negócios e como fica muito mais tranquilo e mais simples tomar decisões.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente