Mário Lanznaster, presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos e vice-presidente para o agronegócio da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc)

Dois homens e um ideal. O projeto para a fundação de uma Cooperativa Central, destinada a reunir as cooperativas agropecuárias, nasceu do encontro de Aury Luiz Bodanese, que presidia a Cooperativa Mista Agropastoril Chapecó, com Setembrino Zanchet, na época gerente do Banco do Brasil. Era o final da década de 1960. Aquelas duas lideranças tinham uma visão muito nítida do futuro: tornava-se imperativo para o desenvolvimento regional que o oeste catarinense deixasse de ser simples fornecedor de matéria-prima e passasse a industrializar proteínas animal e vegetal.

O projeto de Bodanese e Zanchet consolidou-se quando, em 15 de abril de 1969, 18 dirigentes representando oito cooperativas formalizaram a criação da Coopercentral. O primeiro anseio era o abate e processamento de suínos, pois a atividade encontrava-se em franca expansão, mas servia apenas para abastecer frigoríficos de vários Estados brasileiros. Setembrino Zanchet viabilizou o primeiro financiamento, através do qual foi possível adquirir a massa falida do Frigorífico Marafon e adaptá-lo para atender as normas do Serviço de Inspeção Federal (SIF). O primeiro abate (200 suínos) da unidade reformada e ampliada ocorreu em 15 de outubro de 1973. Adjacente à compra daquela indústria veio a marca Aurora, que notabilizou-se internacionalmente como sinônimo de qualidade e sabor e, atualmente, identifica o próprio nome da empresa.

A partir daí, a Aurora nunca mais parou de crescer e construiu essa inspiradora trajetória de 50 anos que pode ser descrita como a vitória do trabalho e da perseverança sobre toda sorte de desafios e dificuldades. Em 1988 a Aurora ingressava na moderna avicultura industrial ao inaugurar a unidade em Maravilha. Em 2008 passava a atuar em outra frente pioneira com o início de atividades da avançadíssima indústria de lácteos em Pinhalzinho.

Atualmente, nossos números testemunham de forma altissonante a condição de terceiro maior grupo brasileiro do segmento de proteína. Nossas plantas industriais processam 20 mil suínos/dia, 1 milhão de aves/dia e 1 milhão e 500 mil litros de leite por dia. Empregamos diretamente 28.300 funcionários. Nossa receita operacional bruta é de aproximadamente 10 bilhões de reais ao ano. Temos 100.000 clientes no Brasil e exportamos para 60 países.

Hodiernamente, a Cooperativa Central Aurora Alimentos pertence a 11 cooperativas filiadas que, juntas, congregam uma extraordinária base produtiva no campo formada por 70.000 famílias rurais, 85% delas tecnicamente classificadas na categoria de agricultura familiar. Portanto, a Aurora pertence a essa comunidade cooperativista e é a extensão dos braços dos associados, agricultores e produtores de todas as 11 sociedades cooperativas filiadas.

No Brasil e no mundo, a Aurora tornou-se paradigma de sustentabilidade, qualidade em alimentos, compromisso com o bem-estar social e respeito ao meio ambiente – tudo temperado pelos princípios do cooperativismo universal. Assim é o cooperativismo que acalenta sonhos, realiza-os pela força do trabalho e faz seus frutos retornarem de forma proporcional à contribuição de cada um.

A soma de todos nós, o imenso capital humano que faz a Aurora é nosso maior patrimônio. Imensa gratidão e esses homens e mulheres que – nos campos e nas cidades, nas indústrias e nas fazendas – mantêm essa admirável dinâmica de trabalho produtivo. Vamos em frente. Os próximos 50 anos nos esperam.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.