Nesta quinta-feira (9/4), o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Angelino Caputo e Oliveira, enviou ofício as associações brasileiras de Terminais Retroportuários e das Empresas Transportadoras de Contêineres (ABTTC) e de Terminais Portuários Privativos (ABTP) e ao Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp), informando sobre a interrupção do acesso de caminhões ao Porto de Santos pela margem direita, sem, contudo, afirmar quando se dará a liberação. Leia aqui os documentos.

Leia também
Fim ou novo incêndio na Alemoa?
Portos: explosões e lições nunca aprendidas

A falta de uma solução possível para o acesso ao Porto tem gerado prejuízos desde que iniciou o incêndio, cuja duração prolongada é consequencial de decisões erradas.
Quantos prejuízos adviriam aos exportadores e importadores e as partes envolvidas no comércio marítimo com interface com o transporte rodoviário? 

Isso que está ocorrendo é um dos tantos desajustes fiscais por incompetência das autoridades.

 

 

 

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente