O presidente da Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), Wilen Manteli, afirmou que, há cerca de quatro meses, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) encontra-se acéfala, uma vez que terminou o mandato do antigo diretor-geral, Carlos Nóbrega e os novos ainda não assumiram.

Já houve aprovação do Senado, mas a posse ainda não se efetivou.

Sobre a questão, disse Manteli:

- Por incrível que pareça, foi uma demora sadia, pois a primeira administração da Antaq só nos trouxe problemas - afirmou.

Embora destacando que o titular Nóbrega tinha boas intenções, procurou, desde o início - segundo Manteli - fazer com que a lei de criação da Antaq se sobrepusesse à lei dos portos - 8630 - o que só trouxe problemas ao setor.

- A primeira administração só fez atrapalhar. Em vez de dar estímulo ao setor, ficou procurando brechas da lei para impedir a produtividade dos portos e terminais. Temos de pedir a Deus que os novos gestores venham com mentalidade diferente. Nóbrega achava que a lei dos portos tinha sido revogada e aí não pôde ter boa gestão.

Segundo Manteli, em vez de seguir o espírito da lei, Nóbrega queria que os arrendatários, embora com contrato assinado com a União, tivessem que refazer tais documentos, para se adequar às normas da Antaq - posteriores às concessões. Assim,a Antaq não reconhecia plenamente os contratos e avisava que iria criar problemas para futuras renovações, dentro de 20 ou 25 anos.

- A gestão foi absurda, pois a linha de ação, embora de boa fé, estava a nosso ver errada. Por tudo isso, em vez de lamentar, até apreciamos que a Antaq ficasse sem comando superior por algum tempo.

FONTE: NetMarinha (coluna Sérgio Barreto)

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s