A questão da segurança no trabalho no Porto de Santos deu uma “sumida” no cais santista. Como está o trabalho da comissão formada especialmente para isso? Os primeiros procedimentos definidos, aliás básicos e que já deveriam existir desde sempre, como banheiros e vestiários, promover cursos de qualificação e treinamento adequado, fornecimento de EPI´s, adequação dos equipamentos de proteção individual para os serviços portuários, já estão em andamento?

 

Ou será que só se pensa em segurança do trabalhador na hora em que acontece um acidente? Só na hora em que um trabalhador morre? A melhor forma de pensar e fazer segurança é para evitar os acidentes. Parece uma coisa óbvia o que acabamos de escrever, e é óbvia sim, mas nem por isso foi executada até agora.

 

É salutar, portanto, a notícia da realização de seminário sobre os dez anos da NR-29 (Norma Regulamentadora nº 29). É uma promoção da Delegacia Sindical da Baixada Santista do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp). Vai ser no dia 6 de agosto, às 9h30, na sede do Sindaport (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Portuária), que fica na rua Júlio Conceição, 91, em Santos. Quem vai falar sobre o tema é o engenheiro civil e de Segurança no Trabalho, Celso Atienza, que já deu entrevista para este PortoGente. O evento conta com o apoio, ainda, do Conselho Sindical Regional da Baixada Santista. O seminário é aberto e não necessita de inscrição prévia.

 

Aliás, por falar em segurança e NR-29, a nova edição do Jornal dos Engenheiros, nº 304, traz o importante artigo “O Porto da Morte” sobre as péssimas condições de trabalho no Porto de Santos. A versão eletrônica do artigo pode ser lida no site do sindicato.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente