Todos sabem que a coluna vertebral é uma região delicada do nosso organismo. É também uma região responsável por muitas patologias e quadros dolorosos na população brasileira.

Estima-se que 50% da população brasileira em idade adulta já apresentaram ou vai apresentar algum quadro de dor nas costas.

Cada problema na coluna possui uma série de tratamentos possíveis, dependendo do caso, que podem ser: medidas de reabilitação, fisioterapia, medicações, exercícios e eventualmente alguns casos podem ter indicação cirúrgica.

Vale lembrar que cada caso é um caso e que o paciente deve ser individualmente avaliado, pois uma mesma condição em pacientes diferentes pode ter indicações diferentes e até mesmo resultados diferentes de um mesmo tratamento.

Mas dentre as principais patologias que acometem a coluna vertebral, quais seriam as possíveis indicações para uma cirurgia?

E uma cirurgia na coluna é a melhor opção? Existem alternativas? É sobre isso que esse texto irá tratar.

Cirurgias na colluna podem ser desnecessárias em 60% dos casos

É isso mesmo! Sessenta por cento dos casos nos quais cirurgias na coluna foram feitas não havia necessidade para tal.

De acordo com um estudo feito por um colegiado, formado por médicos de diversas especialidades que avaliou avalia individualmente casos com prescrição de operação vertebral, indicou que em cerca de 60% dos episódios, o procedimento não é o mais conveniente para o paciente.

De acordo com Edmond Barras, chefe do Serviço de Clínica e Cirurgia da Coluna Vertebral da Beneficência Portuguesa de São Paulo, essa estatística está alinhada com a de outros trabalhos semelhantes no Brasil e no mundo.

Para se ter uma ideia dos números, em 2015, foram feitas 27 mil intervenções com implantes no Brasil, a um custo de 120 milhões de dólares. Portanto, pode-se estimar que 16 mil brasileiros podem ter sido operados sem necessidade, a um gasto de 70 milhões de dólares, de acordo com Edmond Barras.

De acordo com os dados, desde 2011, mais de 3 mil casos foram estudados, com a conclusão de que também em 60% dos casos as operações seriam desnecessárias.

Na mesma linha, nos Estados Unidos, um estudo apresentado no congresso anual da Associação Americana dos Cirurgiões Neurológicos, em 2017, revelou que procedimentos na região da coluna lombar eram contraindicadas para 60% dos pacientes.

Esses números são impressionantes e assustadores. Portanto, é de se pensar que existem outras terapias que podem ser utilizadas para resolução de problemas na coluna e que não envolvem cirurgia.

As cirurgias na coluna podem ser convencionais ou minimamente invasivas ou endoscópicas.

Cirurgias convencionais

As cirurgias convencionais apresentam acessos maiores na pele, vindo de cortes maiores, para separação da musculatura e visualização direta da coluna a ser operada.

Com isso, há maior possibilidade de lesão das estruturas, sobretudo os músculos, com maior sangramento associado e maior tempo necessário para recuperação pós-cirúrgica. São utilizados afastadores retráteis para maior abertura do campo operatório, mas com isso aumenta a possibilidade de necrose muscular e dor pós-operatória.

Após a abertura do campo operatório, pode-se realizar a fixação da coluna com parafusos, placas, por exemplo. Outros objetivos da cirúrgica na coluna pode ser a remoção de hérnia de disco, a descompressão da coluna, a colocação de dispositivos em substituição aos discos intervertebrais ou a remoção de tumores.

Cirurgia endoscópia

Um tipo de técnica cirúrgica na coluna é a cirurgia endoscopia, realizada por grandes centros cirúrgicos especializados.

A grande diferença para a cirurgia tradicional na coluna é que a cirurgia endoscopia utiliza pequenas incisões e o risco de danificar a musculatura ou ligamentos é muito menor.

No caso da cirurgia tradicional, a área cirúrgica aberta é bem maior, portanto, a agressão aos tecidos é bem menor, o que impacta em menor tempo de recuperação ao paciente.

O acesso cirúrgico chega a ser de 0,8 a 1 cm somente, com a utilização de endoscópios e câmeras.

Indicações de cirurgia na coluna

É importante ressaltar que uma patologia ou quadro de dor na coluna não tem indicação de cirurgia imediatamente.

A cirurgia só é indicada após a análise criteriosa do quadro, com avaliação clínica, exame físico completo e exames de imagem, como ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Primeiramente, é sempre indicado o tratamento conservador, pois a fisioterapia aliada ao fortalecimento muscular promove alívio das dores na coluna.

Casos de hérnia de disco na região lombar e descompressões medulares em todas as regiões da coluna podem ter indicação cirúrgica.

A importância do tratamento conservador

Independente da técnica utilizada pelo cirurgião, o tratamento do caso não acaba com a cirurgia em si. O engajamento do paciente para a reabilitação pós-cirúrgica é fundamental e nesse quesito, a fisioterapia é fundamental.

A responsabilidade do paciente no sucesso do tratamento da cirurgia de coluna

É importante salientar que o paciente também tem responsabilidade no sucesso do tratamento quando esse envolve uma cirurgia na coluna. Em um primeiro momento, busque um profissional gabaritado e tire suas dúvidas.

Esclareça todas as dúvidas e quais as possibilidades de resultados, bem como os riscos associados.

A cirurgia, conforme já dito, é parte do tratamento e o sucesso no resultado final do tratamento também depende do paciente e sua adesão na reabilitação pós-operatória.

É importante que o paciente esteja ciente e com uma expectativa realística dos possíveis resultados a serem obtidos em relação ao caso.

O ITC Vertebral apresenta inúmeros profissionais e equipamentos de alto nível para reabilitação pós-cirúrgica, com fisioterapia.

Dicas para sucesso da cirurgia de coluna

  • Escolha um bom profissional, com experiência no assunto;
  • Não compare o seu quadro com o de outras pessoas. Cada paciente é um;
  • Faça exames como ressonância e tomografia, eles são essenciais antes da intervenção cirúrgica;
  • Tenha em mente que há necessidade de reabilitação pós-operatória, portanto se você não conseguiu realizar sessões de fisioterapia antes da cirurgia, elas serão fundamentais após a cirurgia;
  • Cuide de outros transtornos como depressão ou alterações de humor antes de se submeter ao procedimento cirúrgico;
  • Cuide de outros problemas de saúde como diabetes ou alterações endócrinas, obesidade ou hábitos deletérios como fumar, pois eles podem interferir no resultado final.

A reabilitação de pacientes que se submeteram à cirurgia de coluna é fundamental para o sucesso do tratamento.

O ITC Vertebral está aqui para te auxiliar nesse processo. Agende hoje mesmo sua consulta.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s