Cresce exponencialmente os casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (COVID-19) nos Estados Unidos. Ao final desta sexta-feira, dia 20 de março, mais de 20 mil habitantes já tinham testado positivo (acompanhe gráfico do Bing, da Microsoft), sendo mais de 8 mil casos somente no estado da Califórnia. Após anunciar a suspensão de viagens não essenciais entre os Estados Unidos e o Canadá, o governo liderado por Donald Trump anunciou um acordo com o México para fechar a fronteira entre os dois países já neste dia 21. As operações relacionadas ao comércio exterior já registram preocupante redução e mais de 300 mil pessoas solicitaram o benefício do seguro-desemprego nos últimos cinco dias.

econ trans estados

Conteúdo relacionado
* Testes em massa e controle tecnológico parecem essenciais para evitar bancarrota mundial

As principais cidades do país - Nova York, Los Angeles e Chicago - adotaram nesta sexta-feira o confinamento compulsório com o objetivo de frear a multiplicação dos casos de COVID-19. "O estado de Nova York está em pausa", disse o governador Andrew Cuomo em entrevista coletiva. É nele que está instalado o terceiro porto que mais movimenta contêineres nos Estados Unidos - os outros dois estão na Califórinia... - e o vigésimo terceiro do mundo em 2019, de acordo com informações da Lloyd’s List.

O enfrentamento dos Estados Unidos à pandemia era muito mais "relaxada", em relação a países asiáticos e europeus, até a última semana. No entanto, a postura mudou após autoridades tomarem conhecimento de estudo realizado por cientistas do Imperial College London. De acordo com a pesquisa, caso o governo norte-americano nada fizesse até 80% dos residentes seriam infectados e 2,2 milhões de residentes no país morreriam pelos desdobramentos causados pelo coronavírus, isso sem levar em conta o colapso no sistema de saúde que impediria o tratamento de outras centenas de milhares de pessoas.

previsao oatila

Ainda que Trump resolva colocar todo o país em quarentena e isolamento social, o biólogo bacharelado, doutor em microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP) e divulgador científico na internet, Atila Iamarino, informa que para cada paciente internado em UTI outros oito não conseguirão o mesmo tratamento. "E aí quem não tem leito vai ter que ficar em casa, não vai ter acesso a respirador ou a oxigênio. O coronavírus destrói a pele do pulmão que faz a respiração, enche o pulmão de água ou de sangue e a pessoa não consegue respirar".

Leia também
* Cientista brasileiro morre por coronavírus em Nova York, nos Estados Unidos
* Coronavírus: teste de membro da equipe vice-presidente dos EUA dá positivo

 

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente