Dois conceitos muito usados no marketing digital são o público-alvo e a persona. Embora muitas pessoas ainda confundem os dois, são etapas diferentes da análise estratégica de uma campanha.

Pensando nisso, os termos devem ser utilizados no momento certo, principalmente para conseguir um maior impacto nas atividades exercidas. Então, neste artigo, entenda a diferença, bem como as vantagens, tanto de persona quanto de público-alvo.

Primeiramente, o que é público-alvo?

Um conceito básico sobre o público-alvo dita que é uma parcela da sociedade que pode se interessar pelos produtos ou serviços oferecidos pela sua empresa.

Existem diversos fatores que podem ser utilizados para considerar uma pessoa parte de seu público-alvo, como:

  • Idade;
  • Profissão;
  • Localização;
  • Classe social.

No entanto, mesmo que você utilize os dados acima ou outros mais detalhados, o público-alvo ainda é um resultado genérico e muito abrangente, que não considera nenhum tipo de detalhe pessoal para aproximar o cliente.

Em estratégias massivas, você deve utilizar o público-alvo como base para criar as ações de marketing, estruturando todas as atividades para se focar no ganho desse tipo de público.

Um dos principais pontos para conseguir bons resultados é utilizar uma boa comunicação. Para ficar mais claro, vamos criar uma situação, onde o exemplo é uma empresa de contabilidade fiscal.

O público-alvo dessa empresa pode ser considerado um grupo de profissionais que atuam na mesma cidade que o negócio, são profissionais gestores de empresas, que possuem um alto fluxo fiscal e que tem dificuldade em organizar as finanças da empresa.

Por que é importante pensar no público-alvo?

Com a base do público-alvo, você consegue estruturar corretamente os conceitos de quem está buscando atingir com as ações estratégicas e qual público está mais propenso para consumir seu conteúdo.

O público-alvo é fundamental para você entender qual fatia do mercado pode tentar alcançar. Ele ajuda a segmentar o público, encontrando aquele que você deve focar para conquistar bons resultados.

Uma empresa de controle de formigas, por exemplo, precisa conseguir compreender seu público-alvo, principalmente para saber onde e como criar ações que geram maior retorno.

O que é necessário avaliar?

Existem dois tipos diferentes de público que você deve ter em mente para suas ações de marketing, o público-alvo de sua empresa como um todo e o público-alvo de cada produto que você oferece especificamente.

Embora ambos se conversem, é importante ter essa separação, principalmente para conseguir compreender a melhor forma de ofertar no mercado cada um de seus produtos ou serviços.

Quanto mais específico você for nas pesquisas, maiores as chances de conseguir resultados positivos.

Existem vários conceitos que podem ser aplicados nesse tipo de situação. O público-alvo geral pode ser o foco para conquistar um maior engajamento em suas plataformas e criar um relacionamento melhor com o público.

Uma consultoria que auxilia no processo de encerramento de empresa, por exemplo, precisa identificar seu público para saber quando e onde agir.

Já o grupo que é específico para um produto, pode estar interligado diretamente com a venda e a promoção deste item.

Caso haja qualquer tipo de dúvida, existem empresas especializadas em adquirir os dados necessários para a formação de um público-alvo. Essas empresas conseguem criar toda a estrutura que você precisa para iniciar suas ações de marketing.

Agora, como definir a persona?

O público-alvo, embora seja uma ferramenta poderosa, ainda lida de forma genérica com o tipo de cliente que sua empresa pode atingir. Em um mundo digital, cada vez mais a personalização se faz fundamental para conquistar novos clientes.

Com isso, o conceito de persona surgiu, que é uma idealização de um cliente, que utiliza os dados encontrados na análise de público-alvo para criar um retrato específico de um tipo de perfil.

Uma persona de uma empresa de segurança do trabalho precisa parecer real, com uma série de detalhes que a tornam mais factível.

Então, lembre-se que persona tem uma identidade própria, sendo um personagem fictício que inclui todas as informações que um cliente de verdade possui.

É preciso ter muito mais cuidado na hora de definir sua persona, uma vez que os elementos para compreender a pesquisa são muito mais pessoais.

Uma persona tem sonhos, desejos, dificuldades do dia a dia, frustrações, hobbies e tudo o que você consiga pensar para torná-la o mais real.

Como um exemplo de persona podemos criar o Roberto, que tem 28 anos e é gestor de uma startup de tecnologia. O sucesso veio cedo para ele, tornando-o uma referência para seus amigos. É solteiro e gosta muito de passar tempo com a família, sendo mais caseiro.

Seus hobbies são jogar videogame e futebol com os amigos no fim de semana, e apesar da pose de descontraído, tem medo de ficar sozinho, o que acaba dificultando relações amorosas na vida dele.

Tem muita dificuldade com cálculos financeiros, embora sua empresa esteja apresentando um lucro estável. Por isso, precisa dos serviços de um escritorio de contabilidade e consultoria para conseguir alavancar seu negócio.

Uma persona é uma figura que não existe, mas é tão detalhada que parece real, como foi possível observar no exemplo citado.

Qual a importância da persona?

A persona, por ser muito mais detalhada que o público-alvo, acaba sendo muito importante para compreender os conceitos de comunicação de sua empresa. O público-alvo define as pessoas que você quer atingir, mas é a persona que dita como fazê-lo.

Quando você cria uma estratégia de marketing, deve pensar como é a persona, para identificar se a campanha é capaz de te impactar diretamente e criar um interesse em sua marca.

Assim, a persona de uma empresa de limpeza de aeronaves SP, por exemplo, precisa ser alguém que precisa do serviço, mas que tem uma história e um conceito por trás.

Os detalhes da persona acabam ajudando a identificar quem seu público é de fato. Isso porque as fatias de público-alvo, embora segmentem as pessoas para facilitar seu trabalho, ainda são muito genéricas.

Criar uma campanha de marketing exclusivamente com o público-alvo pode acabar fazendo com que você não atinja a maior parte dessas pessoas, uma vez que você precisa se aprofundar mais em características específicas.

Assim, você irá conseguir conquistar muito mais vendas, tendo uma comunicação direcionada para o tipo de cliente que você está tentando conquistar, bem como se tornando uma empresa mais competitiva no mercado.

Como definir sua persona?

Existem diversas formas de pensar em como a persona funcionará. Algumas perguntas são essenciais para a criação dessa ideia, conseguindo dar um rosto e uma imagem mais firme do que estamos focando.

Em um primeiro momento, ter em mãos os estudos sobre seu público-alvo é essencial. Ele será o norte que você usará para começar a estruturar sua persona, uma vez que ela faz parte deste público.

Você também precisa identificar o perfil de cliente que está tentando criar, para conseguir tornar o estudo da persona o mais específico e detalhado possível.

Comece dando um nome, idade e personalidade para sua persona. Ele deve ser uma pessoa completa, e não apenas um amontoado de ideias. Então, passe para seu histórico de vida, familiares, estudos e profissões.

Com a base da persona definida, você deve começar a se aprofundar nos conceitos filosóficos dela. Identifique seus desejos, objetivos e aspirações.

Esse tipo de visão passa uma ideia do que a persona quer alcançar no futuro, e pode mostrar como sua empresa pode fazer parte desse processo.

Por fim, coloque os limitadores que podem surgir no caminho. Medos, desafios e dúvidas que impedem a persona de seguir em frente.

Uma empresa de esocial e departamento pessoal, por exemplo, pode ter em sua persona alguém que está pensando em abrir uma empresa, e precisa de ajuda para conseguir encontrar os detalhes.

Com essas informações, você terá uma ou mais pessoas factíveis em suas mãos, para conseguir estruturar o conceito da persona de sua empresa. É importante pensar que você não precisa se limitar a ter uma persona para cada ação, podendo criar a quantidade que julgar necessária.

Trabalhando em harmonia

As estratégias de marketing digital ainda são recentes, e estão se adaptando às mudanças constantes e evoluções apresentadas pela tecnologia.

Por isso, com a criação das personas, muitas empresas acabaram deixando o público-alvo de lado, pensando em estratégias mais centralizadas.

Porém, é importante lembrar que desde lojas de roupa, até empresas de centrais de alarme podem criar suas personas depois de compreenderem qual é seu público-alvo, tornando o processo muito mais simples.

Entretanto, especialistas dizem que a melhor forma de usar as técnicas, é com base em pesquisas. Cada uma traz novas peculiaridades que complementam a outra.

Com o público-alvo, você consegue compreender a fatia de mercado que está mais propensa a negociar com você, enquanto a persona cria um rosto para essa fatia, permitindo que você compreenda melhor como estruturar suas campanhas de marketing.

Considerações finais

As novas estratégias de engajamento e relacionamento com o público estão em constante evolução, e por isso qualquer empresa precisa ficar atenta aos resultados apresentados.

Tanto o público-alvo quanto as personas são ferramentas importantes de trabalho, que podem gerar muito mais vendas e acertos para sua empresa.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente