Quem está em busca de maior rentabilidade em seus investimentos deve, antes de tudo, entender um pouco mais sobre assuntos como: CDI, taxa de carregamento na previdência, CDBs, etc.

Se você ainda não entende muito sobre investir, fique tranquilo: a seguir, explicaremos mais sobre algumas das formas de investimentos mais interessantes para quem deseja guardar dinheiro sem perder valor (como acontece na poupança tradicional) e adquirir certa rentabilidade. Confira!

Formas de guardar dinheiro: conheça

Antes de tudo: por que não aplicar na poupança? Primeiro, porque não se trata de um investimento de fato.

Há quem acredite que, ao colocar dinheiro na poupança, terá rentabilidade garantida. Isso não é verdade, já que estamos em um cenário econômico de instabilidade e a inflação está muito mais alta do que de costume. Assim, não há rentabilidade e sim perda de dinheiro.

Na prática, quem tem dinheiro aplicado na poupança há muito tempo tem perdido dinheiro já há alguns anos, uma vez que o índice oficial de inflação tem crescido significativamente desde 2012.

Isso não é tudo: se você saca o dinheiro da sua poupança fora da data de aniversário (ou seja, do dia do mês em que a sua aplicação foi realizada), você perde toda a rentabilidade, ainda que mínima, daquele mês. Um tiro no pé, não é verdade?

Por essas e outras razões, os especialistas em investimentos têm sugerido às pessoas, mesmo às que desejam apenas guardar o dinheiro e adquirir uma pequena rentabilidade, fujam da poupança tradicional. Algumas das opções mais interessantes do mercado, hoje, são:

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Um dos investimentos mais conhecidos pelos que preferem investir em renda fixa, o Certificado de Depósito Bancário, CDB, é emitido pelos bancos e é conhecido por sua segurança.

Por meio do CDB, o investidor empresta o seu dinheiro para uma instituição bancária e, em troca, recebe uma taxa de rentabilidade em cima do valor emprestado.

O empréstimo serve ao banco emissor de diversas formas: pode ajudá-lo no pagamento de dívidas, no processo de financiamento de atividades internas ou novos projetos, na criação de novos espaços, no crescimento geral, etc.

CDBs com prazo de vencimento maior tendem a gerar mais rentabilidade, assim como CDBs de empresas de menor porte.

Existem três tipos de CDBs: prefixados, pós-fixados e híbridos. No primeiro caso, a taxa de rentabilidade é fixa, ou seja, se mantém igual durante todo o ano, independentemente das condições do mercado financeiro. Na prática, é interessante porque você sabe exatamente quanto vai ganhar ao final do investimento.

Os pós-fixados, por sua vez, estão atrelados a indexadores como o CDI. Como os indexadores variam, os rendimentos dos CDBs pós-fixados também podem oscilar. Quem investe, portanto, só tem uma ideia de quanto receberá quando chegar a hora de resgatar os valores investidos.

Os híbridos, por fim, possui taxa de rentabilidade que une partes fixa e variável. É, por conta de sua complexidade, um dos Certificados mais raros do mercado de investimentos.

Tesouro Direto

Com rentabilidade maior do que a poupança, é uma opção para quem, antes de tudo, preza pela segurança do seu dinheiro.

No Tesouro Direto, há o empréstimo de dinheiro para o governo federal - que, como sabemos, é "o melhor pagador" do país. Por conta da natureza dessa relação, o TD é considerado um investimento de baixíssimo risco.

Existem três tipos de títulos: o Tesouro prefixado, o IPCA e o Selic. No prefixado, a taxa de juros do rendimento é determinada no momento da compra do título. No IPCA, o investidor recebe, além dos juros fixos, a variação da inflação medida por um indexador específico, o próprio IPCA.

O Tesouro Selic é interessante para projetos financeiros de curto prazo, já que paga a taxa de juros Selic referente ao dia de vencimento do investimento. Para quem deseja valores maiores, vale a pena optar pelas outras opções de títulos (as quais devem render pelo máximo de tempo possível).

É possível fazer a compra de títulos públicos no site do Tesouro Direto.

Previdência Privada

Desde a Reforma da Previdência, cada vez mais pessoas têm buscado informações sobre a Previdência Privada. Não por acaso: nessa modalidade de investimento, é possível guardar dinheiro e fazê-lo render de forma significativa, dentro de um período mais longo de tempo.

Há quem opte por poupar através da Previdência Privada para ter uma aposentadoria mais confortável. Da mesma forma, há os que preferem utilizar essa modalidade de rendimento para pagar a escola dos filhos, realizar sonhos mais custosos ou adquirir patrimônio.

Existem, hoje, planos de Previdência para pessoas de todos os perfis financeiros. Para saber mais, entre em contato com uma companhia de sua confiança e peça a opinião de um especialista.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente