Você sabe o que é e para que serve uma endoscopia? Se não, mas fará uma em breve, é hora de aprender. Afinal, esse é um dos procedimentos mais comuns dentro da medicina nacional e ajuda a identificar uma série de doenças e de outras condições em específico no corpo humano.

Portanto, independentemente dos sintomas sentidos, há uma grande chance de você ter de fazer uma endoscopia pois esse procedimento é o que ajuda a diagnosticar uma série de doenças. Por pior que a sua descrição pareça, esse é um exame simples que não traz grandes consequências para o paciente.

Quer saber o que é e para que serve uma endoscopia? Então siga a leitura do artigo abaixo!

O que é e para que serve uma endoscopia?

Uma endoscopia é um procedimento médico feito para poder examinar o trato digestivo de um paciente com uma câmera. Na prática, o exame serve para investigar e analisar partes do corpo humano, de modo a poder traçar um diagnóstico preciso em relação a certas questões que incomodam o paciente.

Para ser realizada, a endoscopia conta com uma câmera muito pequena que é acoplada em um tubo de material muito fino e muito flexível, de modo a poder se mover pelo corpo do paciente sem causar grandes danos. É possível, com isso, ver com grande detalhes dentro do partes muito sensíveis do corpo.

No entanto, é a endoscopia não é um exame que cobre todos os tipos de necessidades. Às vezes, é necessário que o paciente faça outro tipo de exame de diagnóstico, como os de radiologia. Nesse caso, o procedimento é feito com os equipamentos vistos no site ICRX.

Apesar de ser feita majoritariamente para problemas digestivos, já há até mesmo a possibilidade de fazer cirurgias na coluna via endoscopia.

Qual é o procedimento da endoscopia?

Para realizar a endoscopia, é necessário que um médico especializado no assunto e acostumado com o procedimento introduza o endoscópio (que é o nome do tubo flexível citado anteriormente) pela boca do paciente. Para poder realizar o exame, é necessário que o paciente esteja sedado, já que o procedimento possa causar certa aflição. Assim, uma vez sedado, o médico deve inserir um objeto de plástico para garantir que a boca do paciente estará sempre aberta e então introduzir o endoscópio pelo canal para poder visualizar o interior do corpo do paciente.

No geral, o processo não costuma passar dos 20 minutos, mas pode variar com certo nível dependendo da área que deve ser alcançada e do tipo de imagem que precisa ser gerada para o diagnóstico. Este, por sua vez, é feito com base nas imagens geradas pelo trato digestivo do paciente e que são exibidas no monitor de realização do exame. É possível detectar toda sorte de situações com o procedimento, o que depois é post em um laudo para análise futura.

Quais os cuidados antes do exame?

Para poder fazer o exame, é necessário que o paciente esteja em jejum mínimo de oito horas. Antes disso, ele deve ter realizado apenas uma refeição leve. Isso porque a endoscópio vai viajar pelo trato digestivo e a presença de alimentos em decomposição por lá pode ser um problema sério para o exame, inclusive se houver a presença de gases.

Além disso, como o exame envolve sedativos, isso faz com que quem tenha doenças cardíacas ou outras questões tenha de realizar o exame em um ambiente hospitalar e não de clínica, para poder ser atendido caso aconteça algo. Grávidas não devem fazer o exame, exceto sob circunstâncias específicas. Para completar, após a realização da endoscopia, a pessoa não pode dirigir e deve ficar em repouso durante o resto do dia. Portanto, deve ir fazer o exame acompanhado.

E aí, agora que você já sabe o que é e para que serve uma endoscopia, é hora de se tranquilizar para quando for fazer o exame. Basta se preparar adequadamente que o exame não terá riscos nenhum e poderá a ajudar a identificar qual é o problema, dando aos médicos todas as informações necessárias para resolver a situação.

Gostou do conteúdo? Agora é hora de deixar um comentário abaixo com a sua opinião sobre ele!

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente