Isenção de tarifas de importação e controles na exportação para garantir o abastecimento interno estão no monitoramento constante da empresa aos clientes deste setor

A Haidar Transportes e Logística é reconhecida pelo mercado por sua habilidade e experiência em atender o setor da indústria médica e farmacêutica. Além disso, suas certificações a credenciam para esse mercado. Nas última semanas, as atividades se intensificaram, notadamente em função da movimentação dos produtos e equipamentos no combate ao Coronavírus.

A empresa criou um Comitê de Crise para dar apoio à equipe em home office. “Separamos os componentes deste comitê por setores, visando uma eficiência maior nos assuntos do dia a dia. É um período inédito na história, estamos orgulhosos de fazer nossa parte e encontrar maneiras de continuar a servir nossos clientes, sem perder a preocupação com a saúde de nosso time”, destaca Isac Florêncio, diretor da Haidar, lembrando que parte das operações estão sendo entregues na ponta da linha, através de colaboradores em portos, aeroportos e estradas.

Anvisa – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária tem feito um trabalho excepcional nesse período, entendendo e atendendo as prioridades dos importadores dos produtos para combate a Covid19. Com a lista publicada através da Resolução n° 17 de 17 de março de 2020, diversos produtos tiveram as licenças de importação anuídas por este órgão em menos de 24 horas, atendendo assim a necessidade dos consumidores finais desses produtos.

Camex zera Imposto de Importação – Entre as aplicabilidades de legislação junto aos clientes, uma delas recente movimentou este setor. A Câmara de Comércio Exterior (Camex) do Ministério da Economia zerou, no último dia 25, as tarifas de importação de mais 61 produtos farmacêuticos e médico-hospitalares utilizados no combate à Covid-19. Durante reunião virtual do Comitê-Executivo de Gestão da Camex (Gecex), também foi decidida a suspensão temporária, por razões de interesse público, dos direitos antidumping aplicados às importações brasileiras de seringas descartáveis e de tubos de plástico para coleta de sangue.

Governo monitora exportações – Outra atenção da empresa, visa cumprir uma exigência governamental para garantir o abastecimento interno. O governo federal adotou algumas providências para a exportação de produtos com interface ao combate do Covid19. Uma delas, foi a obrigatoriedade da exigência de LPCO para exportação de produtos necessários para o combate ao Coronavírus. O principal produto que as empresas estão exportando, neste momento, são máscaras de proteção, e o governo tem feito uma análise criteriosa antes da liberação, justamente para que este tipo de produto não falte no mercado nacional. “Em breve haverá um pico da doença, e as máscaras já terão sido exportadas, enquanto algumas empresas estão comprando máscaras do exterior; Portanto, o ideal agora seria é que estas empresas vendessem suas máscaras no mercado nacional para evitar o desabastecimento”, avalia Florêncio

Como exemplo, a exportação de cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina e seus sais na forma de matéria-prima, produto semielaborado, produto a granel ou produto acabado necessitará, temporariamente, de autorização prévia da Anvisa. As empresas deverão peticionar junto à Agência solicitação com as seguintes informações: nome do exportador, país de destino, código NCM da mercadoria, quantidade e unidade. A autorização será concedida pelo diretor-presidente da Anvisa.

“Manifestamos nossa solidariedade com todos que passam por alguma dificuldade nesse momento. Continuamos trabalhando, contribuindo para minimizar os graves problemas, na fé que tudo passará”, finaliza Florêncio.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas