Na manhã de quinta-feira (16), o diretor-presidente da Companhia Docas do Rio de Janeiro, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, reuniu-se com o diretor-presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Arthur Lima, para as tratativas de um acordo de cooperação entre as instituições. O objetivo é viabilizar a utilização pela CDRJ da rede de fibra óptica da EPL.

A CDRJ busca implantar, até o final de 2020, um Local Port Service (LPS) nos Portos do Rio de Janeiro e Niterói, como 1ª fase do Projeto do Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações (VTMIS) desses portos, a fim de ampliar sua capacidade de monitoramento do tráfego aquaviário por meio de imagens de câmeras de alta definição, a serem instaladas em diversos sítios pré-escolhidos na Baía de Guanabara.

Segundo o presidente da CDRJ, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, “para atingir esse objetivo, vislumbrou-se a possibilidade de se firmar esse acordo com a EPL, também subordinada ao Ministério da Infraestrutura (MInfra), para utilização da rede de fibra óptica da EPL já instalada na Ponte Rio-Niterói.”

O VTMIS visa melhorar a segurança da navegação, pois reduz o risco de acidentes, aumenta a eficiência do tráfego de embarcações, com informações em tempo real que maximizam o uso das instalações portuárias e otimizam o uso do cais, além de reduzir o tempo de resposta a emergências. O monitoramento por imagens será fundamental para o controle de toda a cadeia de fatores que envolvem as operações portuárias.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas