Com o objetivo de ampliar o debate sobre ‘‘Assédio moral e sexual nas organizações’’ foi realizada, na manhã da última quinta-feira (13), no auditório da SUPRIO, no Porto do Rio, a segunda mesa redonda. A palestrante, Joana Teresa Fabiano Costa, secretária da DIRMEP, apresentou seu trabalho final de pós-graduação no qual investigou as consequências do assédio no ambiente de trabalho.

A palestra teve início com um panorama sobre assédio no Brasil, demonstrando um estudo em que 36% da população brasileira economicamente ativa sofre assédio no trabalho, mas uma mínima parcela denuncia os fatos as autoridades competentes. A palestrante abordou que a maioria dos assédios são praticados contra as mulheres, todavia qualquer empregado está sujeito a esse tipo de agressão, até homens.

Durante a palestra, foram destacadas as diferenças entre assédio moral e sexual, e as consequências psíquica-emocional e física de quem sofre. De acordo com a pesquisa de Joana, o assédio moral se configura em ‘’ações abusivas e repetitivas que são mais difíceis de provar’’, ao contrário do assédio sexual, quando as ações, mesmo que pontuais são mais fáceis de provar. Nos dois casos, a vítima pode apresentar manifestações funcionais como dores físicas, palpitações, tremores, tristeza profunda, doenças psicossomáticas e psicopatológicas, além de desenvolver depressão e ideias de tentativas de suicídio.

Ao final da mesa redonda, os participantes conversaram sobre possíveis ações para melhorar a circulação de informações sobre assédio na empresa e falaram de suas experiências.

O evento foi organizado pelo Comitê de Gênero em parceria com a GERCAR e a ASSCOM.

Por ASSCOM

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas