• O canal de acesso ao mais importante porto do Hemisfério sul, o Porto de Santos, separa duas cidades onde situam-se as margens portuárias. Por isso, o sonho de uma ligação seca é acalentado há mais de um século.

  • Difícil listar-se todas as ideias para travessia seca do Estuário. A mais antiga é da antevéspera da “Grande Depressão” (1929). Na época, cerca de 3Mt/ano passavam pelo Porto (hoje 133Mt), a população santista era de 150mil (hoje 1,8M na RM), e 270 mil pessoas/ano cruzavam o Estuário. A euforia modernista e do centenário talvez gestara o sonho de túnel RJ-Niterói. Por que não Santos-Guarujá?

  • O projeto da ponte da Ecovias que liga as duas margens do Porto de Santos (SP) vem recebendo críticas sobre os possíveis impactos ocasionados. Entre eles estão os danos à natureza, limitações ao futuro do porto e do aeroporto civil, além da real contribuição à sociedade.

  • Ainda aguardamos um debate sobre a ligação seca entre as duas margens do Porto de Santos, no litoral paulista, que realmente envolva o interesse público. Os próprios formatos de discussão dos eventos que abordaram o tema na região não tiveram como foco principal escutar a população da Baixada Santista.

  • O secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, participa nesta segunda-feira (23), às 9h30, do seminário sobre o projeto de construção da Ponte Santos-Guarujá. O evento irá acontecer no auditório da Associação Comercial de Santos.