De acordo com a Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta), em 2014 cerca de 96 mil estudantes estrangeiros escolheram o Brasil para experiência internacional. Vindos principalmente dos Estados Unidos e da Alemanha, permanecem no Brasil de três meses a um ano. Interessado nessa vivência que o Colégio Divino Salvador, de Jundiaí (SP), acolhe estrangeiros por meio de um projeto desenvolvido pelo Rotary Clube.

Para o diretor pedagógico Padre Samuel Cruz, SDS, o acolhimento desses alunos é importante para a troca de experiências entre quem vem de fora e os estudantes do Colégio. “Os intercambistas são sempre bem-vindos aqui. Ele é uma novidade para nossos alunos e, assim como está curioso para conhecer nossa diversidade, também nos desperta muito interesse em descobrir o que de mais interessante tem seu país de origem”.

Os alunos que participam de intercâmbio vivenciam maneiras diferentes de ver e lidar com o mundo, com a política, com as relações pessoais. A experiência envolve uma diversidade de situações que colaboram para a sua formação. Na carreira, a oportunidade de aprender uma nova língua já o coloca na frente na concorrência por uma vaga de trabalho.
Graça Alves Argentin, oficial de intercâmbio do Rotary Club de Jundiaí-Serra do Japy, confirma que atualmente o Divino Salvador recebe dois alunos de intercâmbio, vindos de Taiwan e Estados Unidos, e todos fazem o curso técnico em Artes. “A experiência dura em torno de um ano e para serem selecionados é preciso passar por uma série de provas, assim como a família que irá recebê-los. A preparação para a viagem também dura um ano, tem uma classificação, escolha de países, feira das Nações. Lá fora o processo dependendo do país é um pouco diferente”.

No Brasil esses alunos ficam em casa de famílias hospedeiras e a escolha é feita pela família e pelos rotarianos. “Eu, como oficial de intercâmbio, vou à casa das famílias e converso com elas para identificar se têm o perfil de família voluntária. Afinal a família irá receber um filho!”.

O Colégio Divino Salvador também incentiva os alunos a participarem desse tipo de intercâmbio. “Quando nossos estudantes retornam de uma viagem dessas, sempre trazem experiências e aprendizados, que são partilhados com os demais alunos na comunidade escolar”, confirma o Padre Samuel.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente