O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, assinou nesta sexta-feira, 11 de janeiro, o primeiro contrato de concessão da pasta na gestão do recém-empossado presidente Jair Bolsonaro (PSL). Quatro trechos da Rodovia de Integração do Sul (RIS) passam a ser controlados pelo Grupo CCR, o maior do Brasil no segmento e vencedor de leilão realizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em novembro de 2018. Diante da simbologia da assinatura, esteve presente à cerimônia no Rio Grande do Sul o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Santos Cruz.

 Ministério da Infraestrutura Tarcísio governador Eduardo Leite RS
Ministro Tarcísio assina concessão observado pelo governador Eduardo Leite (PSDB-RS)

Leia também
* Concessões rodoviárias paulistas registram investimento de mais de R$ 5 bilhões em obras
* Projetos de infraestrutura de São Paulo em debate
* Valores de outorga das concessões de ferrovias estão subavaliados

A concessionária passa a ser responsável pelos seguintes trechos: BR-101/RS, entre a divisa SC/RS até o entroncamento com a BR-290 (Osório); BR-290/RS, no entroncamento com a BR-101 (Osório) até o km 98,1; BR-386, no entroncamento com a BR-285/377 (Passo Fundo) até o entroncamento com a BR-470/116 (Canoas); e BR-448, no entroncamento com a BR-116/RS-118 até o entroncamento com a BR-290/116 (Porto Alegre).

Serão implantadas sete praças de pedágio distribuídas entre as BRs 101, 290 e 386. O valor da Tarifa Básica de Pedágio ofertada de forma vitoriosa pelo Grupo CCR foi de R$ 4,30545, preço 40,5% menor do que a tarifa-teto estipulada pelo Governo Federal, ainda sob a gestão de Michel Temer (MDB). As duas praças da BR-290 já começam a realizar a cobrança na segunda semana de fevereiro. As demais entram em funcionamento em até 12 meses após a data de início da administração pela concessionária, publicada no Diário Oficial da União.

Obras Rodovia Grupo CCR SUL
Arte: Ministério da Infraestrutura

O Programa de Exploração Rodoviária (PER) determina a duplicação de 225,2 quilômetros de estrada até o 18º ano do prazo da concessão, resultando na duplicação integral da Rodovia. Além disso, serão executados 78,8 quilômetros de faixas adicionais para ampliação da capacidade, além da construção de 85 novos dispositivos de interconexão, 32 passarelas de pedestres, 75,5 km de vias marginais e, pelo menos, 59 melhorias em acessos. Os investimentos previstos pela concessão totalizam R$ 7,8 bilhões no período de 30 anos.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s