1. Introdução

O Urânio é um elemento muito utilizado na produção de energia nuclear e até na criação de bombas nucleares através de reações em cadeias e fissões nucleares. Mas, para que o Urânio possa sofrer esse tipo de reação de forma eficiente, ele tem que ser tratado industrialmente, elevando a sua proporção ou a sua concentração de Urânio-235.

 

2. Urânio-235 e Urânio-238

A quantidade de urânio-235 na natureza é muito pequena: para cada 1.000 átomos de urânio, 7 são de urânio-235 e 993 são de urânio-238.

O urânio-238 só tem possibilidade de sofrer fissão por nêutrons de elevada energia cinética (os nêutrons “rápidos”). Já o urânio-235 pode ser fissionado por nêutrons de qualquer energia cinética, preferencialmente os de baixa energia, denominados nêutrons térmicos (“lentos”).

 

3. Urânio e seu enriquecimento

A indústria extrai da natureza o Urânio-235 e realiza o processo físico de retirada de urânio-238 do urânio natural, aumentando, em consequência, a concentração de urânio-235. Foram desenvolvidos muitos processos para essa transformação, conhecida como enriquecimento, entre eles a Difusão Gasosa, a Ultracentrifugação, o Jato Centrífugo e até um processo a laser que ainda está em etapas de pesquisas e testes.

Por se tratarem de tecnologias sofisticadas os países que as detêm possuem um imenso poder bélico e político, assim, há um grande controle do que é feito com esse urânio. Esses países oferecem empecilhos para que outras nações tenham acesso a essas tecnologias.

 

4. Bomba Atômica e Reação em Cadeia

Para ser possível uma reação de fissão nuclear em cadeia, é necessário ter uma certa quantidade de Urânio-235 que é fissionado por um nêutron que é disparado contra seu núcleo e, com isso, ocorre a divisão desse núcleo maior em dois menores, liberando muita energia térmica (calor). Seria como jogar uma bolinha de vidro (um nêutron) contra várias outras agrupadas (o núcleo).

Se o grau do enriquecimento for acima de 90% há uma reação em cadeia muito rápida e de difícil controle. Assim, mesmo que a quantidade seja pequena, há muito urânio-235 e, consequentemente, uma produção muito rápida e perigosa de energia. Assim, é gerada o que chamados de bomba atômica. Além disso, toda a massa de urânio deve ficar junta, caso contrário não ocorrerá a reação em cadeia de forma explosiva.

Se o grau do enriquecimento for menor, há uma grande produção de energia térmica que pode ser utilizada em diversos lugares na indústria e fora dela, como no caso em que ele é chamado de combustível nuclear porque pode substituir o óleo ou o carvão para gerar calor.

Reação em cadeia ilustrada.

 

Saiba mais:

Energia Limpa

Reação em Cadeia

Acidente Nuclear em Three Miles Island

Meio Ambiante Portogente: "Não esqueçam de Fukishima"

Meio Ambiante Portogente: "Angra dos Reis não está preparada em caso de acidente nuclear"

Notícias Portogente: "Crise energética: impasse e riscos das formas de energia produzidas atualmente"

Notícias Portogente: "Eficiência Energética é tema de aula aberta e gratuíta em São Paulo"

 

 

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente