Um "robô" pode ser considerado como um manipulador re-programável, multifuncional, projetado para mover materiais, peças, ferramentas ou dispositivos especializados por meio de movimentos variáveis programados para o desempenho de uma variedade de tarefas.

 

Veja Também

 

Conceitos Gerais

 

Um robô seria um dispositivo automático "inteligente" que possui conexões de realimentação(feedback) entre seus sensores, atuadores e o meio-ambiente, dispensando a ação do controle humano direto para realizar determinadas tarefas, podendo também haver robôs parcial ou totalmente controlados por pessoas. O grau de automatização de um robô pode atingir o nível de aprendizado automático dependendo dos algoritmos utilizados, ainda que com muitas limitações, devido as óbvias dificuldades de simular a realidade a nível computacional.
Os robôs executam tarefas através de atuadores (elétricos, pneumáticos, sonoros, etc.), produzindo sons, acendendo elementos luminosos ou displays, movendo um braço, abrindo ou fechando garra robótica, ou realizando o seu próprio deslocamento.
O controle é provido por algoritmos que relacionam as entradas e saídas do robô, através unidades de processamento eletrônicas e de softwares, que podem ser desde um circuito eletrônico de controle até mesmo um computador pessoal. Por esta definição, muitos dispositivos automáticos poderiam ser chamados de robôs.
A grande maioria dos robôs existentes está na indústria, e as tarefas mais executadas são o deslocamento em um ambiente (locomoção) e a movimentação de objetos ao seu redor (manipulação). Esta distinção por tarefas pode dividir os robôs em duas categorias: robôs móveis e robôs manipuladores, ainda que alguns executem ambas as funções.
Os sistemas mecânicos dos robôs são elaborados de forma a executar determinados movimentos. Os manipuladores são geralmente em forma de braço antropomórfico. Suas articulações executam movimentos angulares e rotatórios ou ainda prismáticos, executando movimentos lineares do tipo cartesiano.
As juntas que conectam as partes dos robôs móveis ou dos manipuladores podem ser:

  • angular (movimento angular entre dois eixos)
  • rotatória (rotação ao redor de um eixo fixo)
  • prismática (movimento linear)

Um robô paralelo é aquele cujos braços (eixos primários) possui três juntas prismáticas concorrentes ou juntas primáticas e concorrentes. O número de Graus de Liberdade se refere ao número de eixos de um movimento. O braço humano possui sete graus de liberdade. Um braço com 6 graus de liberdade é considerado por muitos altamente flexível. Os sensores proprioceptivos recebem sinais dos atuadores do robô (como por exemplo registradores de posição relativa entre dois eixos, registradores de posição angular, contadores de voltas). A propriocepção é um dos sentidos mais importantes do corpo humano.
Alternativamente, o termo robô tem sido utilizado para a designar uma série de máquinas que substituem diretamente o ser humano ou um animal no trabalho ou no lazer. Desta forma, um robô pode ser visto como uma forma de biomímica. A falta do antropomorfismo é provavelmente a principal causa que nos impede de reconhecer uma lavadora de louças altamente complexa como se fosse um robô. Entretanto, no conceito moderno, este termo implica um certo nível de autonomia que impediria que muitas máquinas automáticas fossem chamadas de robôs. A busca por robôs autônomos ou robôs cognitivos cada vez mais auto-suficientes,é atualmente um dos focos de pesquisas na robótica, levando ao campo da inteligência artificial. Com toda essa demanda fica notório a importância de se aprimorar na área através de um curso de robótica.
O termo robô é também muito utilizado para se referir a dispositivos mecânicos sofisticados que são controlados remotamente por pessoas possuindo pouco ou nenhum grau de automação, tais como os waldoes e os ROVs. Essa classe de robôs proporciona a simulação de presença, se forem utilizadas câmeras de vídeo transmitindo imagens em tempo real ao controlador do robô.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente