A economia moderna foi muito influenciada pelo contributo doescocêsAdam Smith. Adam Smith, na sua obraA Riqueza das Nações, estabeleceu alguns dos princípios fundamentais daeconomia (estudando basicamente dois modos de produção que são oMercantilismo e aFisiocracia), que ainda hoje servem de guia aos economistas. Adam Smith foio primeiro a defender que os interesses privados dos indivíduos produziambenefícios públicos. Porém, diferentemente do atual senso comum, Adam Smithnunca afirmou que o mercado independe do Estado, idéia esta difundida pelosneoliberais.

No entanto, algumas escolas actuais reconhecem queAristóteles, outros pensadores gregos e os pensadoresescolásticos do final da IdadeMédia também deram contribuições importantes à ciência economica.

No século XIX, Karl Marxfez a crítica mais influente à economia de mercado e a ciência economica aodefender que esta forma de organização económica é uma forma de exploração dohomem pelo homem. Marx defendia que toda riqueza era produzida pelo trabalhohumano e que os donos do capital se limitavam a apropriar-se da riquezaproduzida pelos trabalhadores.

Os argumentos de Karl Marx não convenceram os defensores daeconomia de mercado já que foram refutados porBöhm-Bawerk e outros economistas mais tarde. Estes constituíam a escolaneoclássica que dominou o pensamento económico até à decada de 30 do século XX.Segundo a escola neoclássica, o preço de um bem ou serviço não representa ovalor do trabalho nele incorporado. Assim sendo é o equilíbrio entre oferta edemanda que determina os preços. Depois de estabelecido, o preço atua como umsinalizador das quantidades dos estoques de bens e serviços. Por exemplo, umavariação nos preços indicaria aos consumidores que determinado bem requer maisou menos unidades monetárias para ser adquirido, o que incentivaria ou inibiriao consumo. Já para os produtores, indicaria que os consumidores estariamdispostos a pagar mais ou menos unidades monetárias pelo bem ou serviço, o que,novamente, incentivaria ou inibiria o produtor a ofertar o bem ou serviço (dadoseu custo de produção constante). Assim sendo, o mercado, através da sinalizaçaodos preços, tenderia ao equilíbrio ideal em termos de alocação de recursosescassos.

Nos anos 30, a teoria econômica neoclássica foi posta emcausa porJohn Maynard Keynes. A teoria macroeconómica de Keynes previa que umaeconomia avançada poderia permanecer abaixo da sua capacidade, com taxas dedesempregos altas tanto da mão de obra quanto dos outros fatores de produção, aocontrário do que previa a teoria neoclássica.

Keynes propôs intervenções estatais na economia com oobjectivos de estimular o crescimento e baixar o desemprego. Para intervir, osestados deviam aumentar os seus gastos financiados e não aumentar seus impostosgerando uma diferença entre a arrecadação e os gastos, esta diferença seriapreenchida com a emissão de moeda, que por sua vez geraria inflação.

As idéias de Keynes permaneceram um voga nas políticaseconómicas dos países ocidentais até os anos 70. A partir daí, a políticaeconômica passou a ser orientada pelos economistas neoclássicos embora oskeynesianos ainda são muito numerosos. Alegavam (e alegam) estes que o estadoempreendedor de Keynes era oneroso, burocrático e ineficiente e deviasubordinar-se em detrimento a atuar no mercado.

 

(Fonte Wikpédia)