Navio no canal do porto de Santos (Arquivo)

 

Há cerca de 70 anos as entradas e saídas de navios, com destino ao porto de Santos são, além de observadas, registradas. Ao controle do tráfego marítimo portuário é dado o nome de serviço semafórico. Este serviço de informação é oferecido pela família Martins desde o final da primeira metade do século XX.

 

O primeiro posto de observação localizava-se no alto do Morro do Monte Serrat, no centro da Cidade, devido a vista privilegiada de toda a baía e também do porto. Além do controle do tráfego, a localidade permitia a comunicação de tripulantes com o posto através de códigos de sinais manifestados em bandeiras.

 

O mesmo local já era utilizado para alertar sobre navios piratas que se aproximavam da costa há cerca de 500 anos. Assim era possível organizar a defesa da Vila, fundada por Brás Cubas, em 1546. Por essa razão o Morro do Monte Serrat era chamado também de Morro da Vigia.

 

Em 1943, período da Segunda Guerra Mundial, Waldemar Dias Martins abriu a empresa Serviço Semafórico do Porto de Santos S/C Ltda. e inovou a prestação deste serviço que já existia.

 

Segundo o diretor da firma, Valdemar Hayden Martins, 64, seu pai foi quem criou os boletins informativos sobre o tráfego marítimo que eram distribuídos aos segmentos portuários da época. 

 

Ao longo dos anos, com o advento de novas tecnologias da Comunicação, o envio dos boletins também se modernizou. Atualmente é feito e distribuído de várias maneiras, durante as 24 horas do dia. “O serviço é contratado de acordo com a necessidade do cliente”, afirma Valdemar. Alguns recebem o boletim impresso que é entregue nas companhias, outros via email ou através do site http://www.semaforico.com.br/default.asp, em tempo real.

 

Recebem o controle do tráfego marítimo do porto de Santos, agências de navegação, comissárias de despachos, transportadoras, fornecedoras de navios e algumas seguradoras.

 

Os boletins informam os horários de chegada e partida dos navios e onde estão atracados. A empresa permanece em contato direto com a Alfândega, Polícia Federal, Capitania dos Portos e Autoridade Portuária. “Recebemos as informações via rádio, telefone e email, além de também buscarmos outras informações junto às autoridades, relacionadas ao tráfego”. As informações são captadas da Codesp e de agências de navegação.

 

O serviço semafórico recebe duas programações diárias (manhã e tarde) com a movimentação das embarcações, mas procura estar por dentro de qualquer alteração que ocorra durante o percurso dos navios como atrasos, por exemplo.

 

O escritório, onde funciona a cabine de controle do tráfego está situado na orla, no bairro da Ponta da Praia, de onde é possível ver todos os navios que passam pelo canal do porto.

 

A empresa é administrada também pela esposa de Valdemar, Sílvia Regina Bório Martins. O casal prepara a terceira geração da família para assumir a direção do negócio: o filho caçula Waldemar Dias Martins Neto, 22.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Silvia Regina Bório Martins, Waldemar Dias Martins Neto e Valdemar Hayden Martins. Na parede, a foto do patriarca e fundador da empresa, Waldemar Dias Martins.

 

De 01 de janeiro de 2004 a 31 de dezembro de 2004 passaram pelo porto de Santos 4959 navios, sendo 642 de bandeira brasileira e 4.317, de estrangeira. O serviço semafórico não registra navios de guerra e alguns de pesca, de bandeira internacional. Aportaram no último mês de janeiro, 416 embarcações, sendo 87,74%, de bandeira estrangeira.  


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Operadores na cabine de controle do tráfego do Serviço Semafórico do porto de Santos


Pesquisa sobre dados históricos: http://www.novomilenio.inf.br

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente