A demanda de embarcações de esporte e lazer, na temporada de verão, é maior do que durante os outros meses do ano, o que, conseqüentemente, aumenta o risco de acidentes nos mares e rios. Considerando que prevenção de acidentes e cuidados especiais são indispensáveis, o Portogente entrevistou o coordenador dos Simpósio de Segurança do Navegador Amador, Carlos Brancante.

 

Brancante, 61, é empresário do setor imobiliário e corretor de seguros náuticos. Velejador há cerca de 40 anos, foi convidado pela Marinha para coordenar os Simpósios de Segurança do Navegador Amador.


Portogente - Há quanto tempo o senhor está envolvido com atividades relacionadas à Segurança da Navegação? O senhor pertence a alguma instituição ou associação?

Brancante - Estou envolvido com navegação de esporte e recreio desde os meus 13 anos de idade, e, como velejador que fui durante quase 40 anos, sempre me preocupei com a segurança da navegação. Há cerca de 3 anos fui convidado pela Marinha do Brasil para coordenar os Simpósios de Segurança do Navegador Amador, evento que ocorre anualmente, no mês de Agosto, na Escola Naval, no Rio de Janeiro. A partir de então passei a ter a oportunidade de, através de ensinamentos práticos e conscientização, colaborar mais diretamente com a segurança da navegação e a preservação da vida humana no mar e nas águas interiores.


Portogente - Quais as medidas que são providenciadas para intensificar a segurança no mar, nessa época do ano?

Brancante - Com a chegada da temporada de verão, a atividade náutica cresce bastante e, com ela, os acidentes. A Marinha, a Policia Militar e mesmo as Prefeituras dos Municípios onde o Turismo Náutico se faz sentir, intensificam fiscalização, aumentam seus efetivos e criam campanhas de conscientização. Mas não basta. Cada navegador deve se prevenir, se preparar, e estar consciente dos perigos e saber enfrentá-los.


Portogente - O senhor participa ou coordena campanhas preventivas de conscientização contra acidentes e cuidados que devem ser tomados?

Brancante - Sim, o Simpósio de Segurança do Navegador Amador, anualmente, de âmbito Nacional. Além disso, sou articulista das Revistas Diário de Bordo (Marina Porto Astúrias) e IATE (Iate Clube de Santos) onde tento transmitir ensinamentos e experiências voltadas para a Segurança no Mar.


Portogente - Quais são esses cuidados e quem deve tomá-los? Banhistas e o navegador da embarcação?

Brancante - Todos devem tomar cuidados. A segurança da navegação não é papel exclusivo do Estado, mas de todos os que se utilizam do mar, quer por prazer ou esporte, quer profissionalmente. O banhista tem que ter muito cuidado, não só com o estado do mar, mas também com as embarcações, sobretudo as moto-aquáticas, que navegam junto à Praia. O navegador mais ainda, pois ele precisa estar bem preparado para comandar uma embarcação, por menor que ela seja.


Portogente - As campanhas são feitas em parceria com a Capitania dos Portos e Corpo de Bombeiros?

Brancante - Sim, todos colaboram.


Portogente - Qual o período de duração da campanha de segurança. Quais os meses que o senhor considera de maior movimento de embarcações de esporte e lazer?

Brancante - As campanhas de segurança deveriam ser permanentes e a Marinha tem feito dessa forma, mas a principal época vai do Natal até o Carnaval, quando o movimento de embarcações aumenta substancialmente por força dos feriados e férias de verão, aumentando os riscos.


Portogente - Qualquer pessoa pode ser um navegador amador? O que é necessário para se tornar um?

Brancante - Sim, qualquer um pode ser um navegador amador, bastando para isso ser habilitado pela Marinha nas categorias de Veleiro, Motonauta, Arrais, Mestre ou Capitão. Mas a habilitação não basta para que no amador realmente possa comandar com segurança uma embarcação. Há a necessidade da experiência, de conhecimentos adicionais e de treinamento para formar um “lobo do mar”. E isso o amador tem que conquistar por si, passo a passo. Enquanto isso, o amador deve sempre ter redobrado cuidado, e, o que é muito importante, saber seu limite de conhecimentos e respeitá-los. Não ultrapassar seu limite é, sem dúvida, o grande conselho que posso dar. Não fazer aquilo que não sabe, para o que não está preparado, ou que se sente inseguro e a regra correta de Segurança.


Portogente - Quais as condições ideais para viajar com segurança na embarcação? Quais equipamentos são imprescindíveis ter a bordo?

Brancante - Inúmeros, dependendo muito do tipo de viagem que se pretende realizar e o tipo de embarcação que será utilizada. Mas, deve ter coletes salva-vidas em número suficiente para todos a bordo, balsa-salva vidas quando navegação fora da barra, artefatos pirotécnicos para emergências e extintores de incêndio compatíveis com a embarcação. Depois da moto-aquática, o incêndio é quem mais produz acidentes no mar com embarcações de esporte e recreio.


Portogente - Qualquer pessoa, idependente de ser marítimo pode adquirir uma embarcação, barcos, iates ou jet skis ou é preciso comprovar habilitação?

Brancante - Sim, qualquer pessoa pode. Mas deve ser responsável para saber o que está fazendo, e se está preparada, e habilitada para pilotar aquela embarcação. Não ultrapassar nunca o seu limite.


Portogente - O jet ski já se tornou uma febre em todo o País, mas temos notícias de muitos acidentes nos mares por conta de imprudência dos usuários. Quais são as regras para a utilização desse veículo? Existe um limite nas praias onde podem navegar? O usuário precisa de habilitação para guiá-lo? O jet ski é considerado uma embarcação?

Brancante - O Jet Ski é uma marca, não uma embarcação. A classificação correta é moto-aquática, e para pilotá-la é necessário ser maior de 18 anos e possuir carteira de Motonauta, ou superior e deve se respeitar as regras, ou seja, limitar-se a navegar nas áreas delimitadas para tanto, jamais pilotá-las próximos a banhista ou outras embarcações. Os acidentes ocorrem normalmente porque as moto-aquáticas são emprestadas a pessoas não habilitadas, por vezes até menores de idade, e que delas se utilizam para exibicionismo. Há que se considerar também que a potência dessas motos é muito grande e, é necessário algum treinamento para dominá-las com segurança, o que normalmente não ocorre. É como montar um cavalo arisco sem prática: é tombo na certa.


Portogente - Qual é o assunto em pauta de discussão hoje em termos de segurança da navegação?

Brancante - A Segurança é discutida sempre como um todo. Ela não pode ser subdividida, embora ela englobe um cem número de fatores. Desde a utilização de sapatos adequados para andar a bordo, até não ingerir bebidas alcoólicas, são exemplos de fatores de segurança;


15) Portogente – Quando acontece o próximo simpósio?

Brancante - O próximo Simpósio de Segurança do Navegador Amador deverá se realizar em agosto de 2004 e certamente enviaremos material de divulgação.

 

Confira a seguir as fotos dos programas de treinamento (imagens cedidas por Carlos Brancante):

 

Demonstração de Resgate de Ferido de Bordo de um veleiro por Aeronave da Marinha

 

 

 

 

 




Treinamento de Combate a Incêndio aos participantes do Simpósio

 

 

 

 

 

 

 

Treinamento de Uso de Balsa Salva-Vidas

 

 

 

 

 

 


 

 

 

V.Alte. Napoleão Bonaparte Gomes, Diretor de Portos e Costas, abrindo o Simpósio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vista do auditório do simpósio, com a presença dos Altes. de Esquadra Janot (DGMM) e Arlindo (RRm), e os Vice Altes. Napoleão (DPC) e Lucio (DHN).

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente