A Associação Comercial têm um papel histórico de total relevância, pois há 133 anos vêm contribuindo para o desenvolvimento político, econômico e social da Cidade de Santos.

 

A instituição foi fundada em 22 de dezembro de 1870. Seus primeiros estatutos foram aprovados, por Decreto Imperial, em 07 de junho de 1871.

 

A primeira assembléia geral da instituição deu-se em 17 de setembro de 1874 no prédio da Rua da Praia, hoje Rua Tuiuti, nº 3, sendo então eleita a pri­meira diretoria permanente. Compunham o corpo diretor: Comendador Nicolau Vergueiro (presidente); Antonio Ferreira da Silva Júnior, Barão e depois Visconde de Embaré, (vice-presidente); Inácio Wal­lace da Gama Cóchrane (secretário); José Azurem Costa (tesoureiro) e diretores, Henri Leuber, Carlos Wagner, José Ricardo Wright, Rodolfo Wursten e José An­tonio Teixeira.

 

Em 18 de novembro de 1914, todos aqueles que contribuíram para a formação da Associação até a data da primeira assembléia geral tornaram-se sócios fundadores. Ao todo eram 106 sócios. Entre eles, estavam Antonio José da Silva Bastos, Francisco Feliciano da Silva, Gustavo Backheuser, João e José Antonio Pereira dos Santos, João Manoel Alfaia Rodrigues Júnior, José Proost de Souza, Luís José dos Santos Dias e Manoel Lourenço da Rocha, entre muitos outros de real projeção.

 

A associação, desde o início de suas atividades, colaborou com os Governos da União, Estado e Município, na solução de problemas econômicos e sociais mais importantes.

 

A entidade foi declarada de utilidade pública pelo presidente da República, em 03 de outubro de 1917, por meio de resolução do Congresso Nacional, e pela Prefeitura de Santos, em 03 de novembro de 1949, sendo declarada, ainda, órgão técnico consultivo do Governo e colaborador do Poder Público por meio de decreto baixado em 2 de setembro de 1941.

 

Graças a Associação Comercial, foram instaladas em Santos: uma agência do Banco do Brasil (na própria sede da ACS), a Bolsa Oficial do Café, a Caixa Econômica e a Caixa de Liquidação.

 

A Bolsa Oficial de Corretores de Câmbio e o Conselho Nacional do Café tiveram a sua primeira sede no prédio da Associação. A Guarda Noturna de Santos também foi criada pela entidade.

 

 

A instituição efetuou a Codificação para registro na Junta Comercial do Estado, dos Usos e Costumes da Praça de Santos. Antes de qualquer outro estabelecimento comercial, foi pioneira no pagamento das férias comerciais, da semana inglesa, da pensão por morte e até aposentadoria, este último benefício, conce­dido a um dos seus empregados, em 1909.

 

Teve significativa participação na criação do bispado da Cidade e desde os tempos do império militou pela construção de cais e armazéns no porto.

 

A diretoria da Associação Comercial assumiu, interinamente, a administração de Santos, em 14 de dezembro de 1891, com a deposição do presidente do Estado, Américo Bra­siliense, do intendente e dos vereadores municipais. Eles foram depostos pela grande mobilização popular ocorrida, nesta data, na Praça da República, às 16 horas, devido ao apoio à ditadura imposta por Marechal Deodoro da Fonseca.

 

Embora o novo presidente de Estado, Almeida de Morais, tenha assumido o governo municipal no dia seguinte, renunciou no dia 18, devolvendo a administração à Associação Comercial que esteve à sua frente até o dia 30 de dezembro do mesmo ano. Tomou posse, então, a nova Intendência, constituída por João Galeão Carvalhal, Lino Cassiano Jardim, Francisco Cruz, Antônio Augusto Bastos, António José Malheiros Júnior, Raimundo Gonçalves Corvelo e Teófilo de Arruda Mendes.

 

O prédio da Associação, localizado à Rua XV de Novembro, 137, no Centro, foi adquirido em 12 de outubro de 1883, naquela época, Rua 25 de março, nº 55. Porém, o imóvel comprado estava em ruínas devido a um incêndio que o destruiu em 30 de julho do mesmo ano. No local foi construída o bela edificação que conhecemos até hoje.

 

Entre as visitas ilustres que a Associação Comercial recebeu ao longo de sua existência, está o imperador Dom Pedro II, os presidentes da República, Wenceslau Brás, Eu­rico Gaspar Dutra, Juscelino Kubitschek, Rui Barbosa, os governadores do Estado de São Paulo, Júlio Prestes, Adhemar de Barros, Lucas No­gueira Garcez e Carvalho Pinto, além de embaixadores, delegações estrangeiras e ministros.

 

 

Conheça também:

Os grandes serviços da Associação Comercial de Santos

Os presidentes da Associação Comercial de Santos




Fonte de pesquisa: Informações gentilmente cedidas pela Assessoria de Comunicação da Associação Comercial de Santos. Texto original sobre a história da Associação, de autoria de Fernanda Silvestre.  

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente