A Prefeitura de Fortaleza divulgou na última sexta-feira (11) estudos que mostram ser inviável a construção do Estaleiro Promar Ceará na capital cearense. A prefeita Luizianne Lins (PT) não se pronunciou sobre o assunto e deverá fazer isso somente na sexta-feira (18), mas os documentos de sua equipe técnica (acessível aqui) reduzem a praticamente zero a chance de Fortaleza receber o empreendimento.

* Estaleiro opõe prefeita do PT e governador do PSB
* Crise econômica não afeta a indústria naval brasileira
* Estaleiro Ceará vê melhor proposta para fazer navios da Transpetro

Desde 2009, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), e a prefeita Luizianne Lins se estranham quando o assunto é a construção do estaleiro. Ele defendia, no início, a utilização da Praia do Titanzinho para o negócio. Ela, por sua vez, usava o argumento dos impactos ambientais e sociais para vetar essa possibilidade e queria passar a bola para outros municípios cearenses.

Segundo o secretário de Infraestrutura de Fortaleza, Luciano Feijão, os locais mais apropriados para a construção do estaleiro seriam dois pontos litorâneos fora da capital: Pecém e Camocim. “Ficando fora de Fortaleza, será possível construir no continente, minimizando os valores de dragagem, aterro e enrocamento”.

Luciano aproveitou a oportunidade para reclamar do Governo do Estado e dos empresários que estão à frente do Estaleiro Promar. “Nós sempre requisitamos os estudos de viabilidade técnica e nunca nada nos foi apresentado".

Enquanto isso, a boataria segue no Ceará e ninguém sabe qual o destino do estaleiro. A única palavra veio por meio do empresário Paulo Haddad, que responde pelos investidores do Promar Ceará, via assessoria de imprensa e deixa claro que o impasse irrita os investidores. “Nosso pessoal visitará vários locais do Nordeste e do Sul para ver o melhor local, uma área sem polêmica e com vocação naval”.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s