Os custos de sobrestadia para os importadores de fertilizantes por descumprimento dos prazos de contrato, a chamada demurrage, caiu cerca de 72% no Porto de Paranaguá, no litoral paranaense, nos últimos sete anos. Os dados são de um estudo feito pelo Sindicato da Indústria de Adubos e Corretivos Agrícolas do Paraná (Sindiadubos).

Demurrage é a multa determinada em contrato, a ser paga pelo contratante de um navio, quando esta demora mais do que o acordado para carregar ou descarregar produtos. Em 2011, o valor da demurrage por tonelada de fertilizante em Paranaguá era de U$ 16,88. Em 2016, caiu para U$ 7,05 por tonelada; em 2017 para U$ 4,68 e em 2018 passou para U$4,70 dólares por tonelada - uma queda de 72% em sete anos.

navio fertilizantes paranagua
Crédito da imagem: André Kasczeszen/APPA

“A redução representa uma economia de aproximadamente U$ 70 milhões ao ano, ou 67%. Este valor deixou de ser gasto no custo operacional de importação de fertilizantes”, explicou o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Lourenço Fregonese.

Ao todo, os Portos de Paranaguá e Antonina possuem sete berços de atracação que podem ser utilizados para a operação de fertilizantes, sendo dois berços especializados e outros cinco berços alternativos.

Fregonese explica que, para conseguir estes resultados, a Appa fez um diagnóstico de todo o sistema de descarga de fertilizantes para descobrir onde estavam os principais gargalos que consumiam tempo e tornavam as operações menos ágeis. “Trabalhamos para possibilitar uma melhoria na infraestrutura e na logística de importação. Isso inclui a automação de processos, mudanças nas regras de atracação, monitoramento da produtividade das descargas de fertilizantes, e principalmente de inúmeras ações conjuntas com os operadores portuários privados para solucionar os gargalos existentes”, explicou.

“O resultado final foi uma redução de 67% no valor pago com a Demurrage”, completou Fregonese. Os números explicam essa redução. O setor de fertilizantes pagou, em 2011, cerca de US$ 100,5 milhões em multas sobre-estadia. Já em 2016, os valores gastos com a demurrage foram de U$ 34,4 milhões. Em 2017, foram pagos U$23,9 milhões de demurrage para 6,8 milhões de toneladas de fertilizantes e, em 2018, até o mês de setembro, foram pagos U$32,9 milhões para 7,14 milhões de toneladas movimentadas.

Paranaguá é o maior e mais importante porto na importação de fertilizantes do país, com 9,5 milhões de toneladas desembarcadas anualmente. O montante representa mais de 35% de todo o fertilizante importado pelo Brasil. “Este incremento é resultado de tudo que foi feito na infraestrutura terrestre, com mais armazéns, novos equipamentos, maior integração entre os modais rodoviários e ferroviários, além da evolução da estrutura marítima representada pelas campanhas de dragagem”, explica Fregonese.

O presidente da Appa lembra que – com a conclusão das obras de Revitalização da Avenida Bento Rocha, em Paranaguá e a construção de um viaduto na entrada da cidade – ambas em andamento, será possível tornar ainda mais ágil a descarga de fertilizantes.

As informações são da assessoria de comunicação da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s