A Scania participou da conferência sobre o clima COP21, que aconteceu na última semana em Paris (França), se posicionando como montadora comprometida em oferecer ao mercado tecnologias que ajudam a reduzir a emissão de CO2 na atmosfera.

Atualmente, o setor de transportes global responde por cerca de 14% das emissões de gases que contribuem para a intensificação do efeito estufa no planeta. Diante deste cenário, a tendência para o futuro é de que a demanda por tecnologias que promovem frotas mais sustentáveis aumente cada vez mais.

Para manter o compromisso de reduzir em dois graus a temperatura do planeta, e reduzir o aquecimento global, a indústria que abastece o sistema rodoviário das maiores cidades do mundo deverão reduzir pela metade a produção de CO2 na atmosfera até 2030.

"Estamos trabalhando ativamente em conjunto com nossos clientes para reduzir os impactos climáticos da indústria de transporte e produção de CO2. Nossa estratégia tem três partes: a eficiência energética, combustíveis alternativos e de eletrificação, bem como transporte inteligente", disse Andreas Follér, gerente de Sustentabilidade da Scania.

Em busca da redução de emissões, a Scania tem intensificado suas pesquisas no campo dos combustíveis alternativos. Hoje, todos os motores a diesel da empresa são certificados para utilizar biodiesel, o que permite uma redução de até 90% das emissões de CO2.

"O trabalho de pesquisa permitiu o desenvolvimento de motores movidos a combustíveis alternativos mais eficientes, chegando próximo ao desempenho daqueles que são movidos a diesel. E a nossa tecnologia única para o etanol e biogás permite-nos lidar com todos os biocombustíveis disponíveis no mercado", completa Follér.

Além do bioetanol e do biodiesel, a Scania tem investido no desenvolvimento de veículos movidos a eletricidade na Europa. Tanto que, em 2016, a empresa irá participar de testes em estradas elétricas construídas nas cidades suecas de Södertälje e Gävle.

Aumentar o nível de sustentabilidade no setor automotivo também envolve desenvolver veículos que utilizam a tecnologia embarcada para serem mais eficientes. Caminhões conectados, aliados a estratégias que têm como objetivo gerar melhorias operacionais, são fundamentais para que o sistema de transporte global polua menos no futuro.

"O desenvolvimento de veículos conectados que são integrados com informações sobre infraestrutura, mercadorias transportadas e centros de gestão, progride rapidamente e está produzindo possibilidades não exploradas anteriormente para reduzir o desperdício e otimização de fluxos de transporte", conta Andreas Follér.

Conduzir pesquisas na área ambiental é algo que está no topo da agenda da Scania. A empresa estabeleceu como meta reduzir pela metade suas emissões de CO2 entre 2010 e 2020, e os primeiros resultados já têm aparecido. O Scania Transport Laboratory, a empresa de logística da Scania criada para atender suas próprias operações, conseguiu reduzir pela metade o número de quilômetros percorridos no transporte de componentes entre as fábricas de Södertälje, Suécia, e Zwolle, na Holanda.

Isto foi conseguido por meio de uma combinação de formação dos condutores, tecnologia, planejamento e um aumento da capacidade de transporte. "Através do nosso programa New Inbound Logistics (NILE), estamos trabalhando em conjunto com os nossos fornecedores de transporte para aumentar a eficiência no sistema de logística", diz Follér.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s