Ainda repercute, mais fortemente na Baixada Santista, o anúncio dos estudos para a duplicação do Porto de Santos, feito na última sexta-feira (18), pelo ministro dos Portos, Pedro Brito. No dia seguinte ao anúncio, a Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo), em conjunto com a Secretaria Especial de Portos (SEP), publicou, nos jornais locais, um comunicado citando várias leis (desde a 8.639 até a 11.079) para explicar que a partir dessa legislação resolvia conceder à empresa Santos Brasil autorização para os estudos do projeto Barnabé-Bagres, na área continental de Santos.

 

Nesse mesmo comunicado, a Autoridade Portuária do Porto de Santos diz que a autorização não significa adesão ou aproveitamento dos estudos e do projeto que serão elaborados a partir de agora. Ou seja, quando o estudo da empresa estiver pronto, e isso não será para amanhã, é claro, a Codesp pode dizer que não quer, não gostou, não aceita, etc e tal? É isso? E voltamos à estaca zero? Novos estudos serão autorizados? Novos projetos serão autorizados? E quando isso termina?

 

Melhor perguntar: quando o Megaporto de Santos, o complexo Barnabé-Bagres, vai sair do papel?

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente