Implantar Green Port é impositivo e cumpre parâmetros internacionais.

A qualificação do túnel submerso ligando Santos-Guarujá, sob o canal do Porto de Santos, no litoral paulista, no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), nesta quinta-feira (16/12), reafirma o compromisso do ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas com a deputada federal paulista Rosana Valle (PSB). Essa ligação a seco vem sendo prometida sem consequências, em períodos eleitorais, há quase um século. Essa interação entre Estado e a iniciativa privada pode virar legado.

Túnel Dad

Leia também
Deputada tem a palavra do ministro de construir o túnel submerso no Porto de Santos

Santos e Guarujá, cidades às margens do principal porto do Hemisfério Sul, têm uma forte conurbação e uma intensa travessia do canal que as separa. São pedestres, ciclistas e veículos automotivos em fluxos intensos, em balsas e barcos, que cortam o trajeto dos navios. E ocorrem filas longas e de esperas demoradas. Quanto à necessária solução, não paira dúvida; falta somente um plano de negócio robusto para atrair investimentos privados.

Editorial Portogente
Ministro Tarcísio candidato ao governo de São Paulo

Com extensão total de 1.500 metros, com a parte submersa medindo 800 metros, a implantação desse túnel tem custo estimado em R$ 4 bilhões. O projeto prevê fluxos de veículos leves e de carga; pedestres, bicicletas e do Veículo Leve sobre Trilho (VLT). Há empresas interessadas em participar desse projeto, bem como há competência nacional para desenvolver o projeto e implantá-lo. Há muito desenvolvimento potencial para passar por esse túnel.

Leia também
Túnel submerso é infraestrutura do Porto de Santos

O projeto da ponte, como alternativa para justificar a renovação do contrato da Ecovias, é uma proposta equivocada e descartada como ligação, por seu papel inoperante nas relações do porto e as cidades. E o seu traçado já é muito bem correspondido pela Rodovia Piaçaguera-Guarujá. A PPI facilita a construção de parcerias entre o Estado e a iniciativa privada, por meio de contrato. Há fontes de recurso suficientes, para construir o túnel submerso.

Confira
Audiências Interativas (camara.leg.br)

Sem sobra de dúvida, a concretização da construção do túnel submerso para travessia do canal do Porto de Santos depende de dois fatores: vontade política e forte determinação administrativa. É fato consumado: trata-se de uma obra prioritária, por muitas e não poucas razões, sob a ótica econômica, logística, urbana, social e da sustentabilidade. Por isto, ela é muito cobrada.

Veja
O Túnel Submarino do Porto de Santos - Webinar Portogente

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é a opinião do Portogente

O que você achou? Comente