por Angélica Queiroz

Fotografia e marketing são algumas das especialidades com mais opções disponíveis

Quem trabalha ou gosta de comunicação, certamente, já está acostumado a informar-se pela internet. Contudo, os que ainda não têm o hábito de estudar pela rede podem estar perdendo ótimas oportunidades. Os cursos on-line, que já vinham crescendo, estão em alta nesse momento.

Mesmo a pandemia tendo impedido vários encontros presenciais e de ainda não termos previsões de quando os cursos poderão a acontecer nesse formato, muitas instituições estão oferecendo formações gratuitas durante este período.

As possibilidades são quase infinitas e há cursos específicos para praticamente todas as áreas da Comunicação. Muitos deles são em instituições renomadas e oferecem certificados de participação, que são ótimos para o currículo de qualquer um. Conheça, a seguir, algumas das opções — lembrando que basta uma pesquisa no Google para encontrar várias outras.

Fotografia, na Nikon

A consagrada marca de câmeras está disponibilizando, gratuitamente, aulas de fotografia para amadores e iniciantes. Esta é a primeira vez que a Nikon oferece cursos sem custo nesse formato. A marca justificou divulgando que quer manter as pessoas inspiradas neste momento difícil.

Na escola on-line da Nikon, os interessados encontram vídeos com explicações básicas e demonstrações práticas sobre elas. As aulas têm durações que variam entre 15 minutos e 1 hora. Há até um curso específico para fotografar pets, ótima opção para treinar sem sair de casa.

Marketing pós-coronavírus, na ESPM

Esse é o assunto do momento, e a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) está disponibilizando, em sua plataforma, vários encontros realizados por videoconferência sobre ele, chamados de Pocket Live ESPM.

Os encontros tratam de temas que todo profissional de Comunicação precisa estar por dentro agora, como ações de solidariedade, empatia, posicionamento de marca e reinvenção da comunicação interna. As lives podem ser acessadas on-line a qualquer momento.

Mais de 100 opções, na Universidade de Harvard

Em inglês, a universidade americana disponibilizou para todo mundo mais de 100 cursos gratuitos de assuntos variados em sua plataforma on-line. A maior parte pode ser feita sem tempo de duração, mas alguns têm dia e hora para acompanhar as aulas e atividades.

Nem todos eles têm a ver com a área de Comunicação, mas vários podem ser bem interessantes, até porque quem trabalha com informação precisa saber um pouco de tudo. Se você não tem dificuldades com a língua, vale dar uma navegada por lá.

B2B e design, na USP

A Universidade de São Paulo (USP), oferece mais de 15 cursos gratuitos pela Coursera, sua plataforma on-line. Entre eles, dois específicos podem ser muito interessantes para quem é da área de Comunicação: Marketing e vendas B2B: Fechando novos negócios e UX/UI: Fundamentos para o design de interface.

Marketing de Serviços e Comunicação Institucional, na FGV

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) é outra que está disponibilizando vários cursos gratuitos durante a pandemia. Ao todo, são mais de 50, em várias áreas. Para quem é da Comunicação, um curso de Introdução à Comunicação Institucional e outro com Fundamentos do Marketing de Serviço podem ser especialmente interessantes.

Marketing de Conteúdo, Inbound Marketing e mais, na Rock Content

Quem trabalha ou quer trabalhar com produção de conteúdo para a internet, uma das áreas da Comunicação que mais cresce atualmente, também precisa dar uma olhada na plataforma da Rock Content.

Ao criar uma conta, o estudante tem acesso a cursos gratuitos de Marketing de Conteúdo, Inbound Marketing, Outbound Marketing & Sales, Produção de Conteúdo para Web, Revisão de Conteúdo para Web e WordPress na Prática.

Também há vários outros lá, porém, pagos. Quem costuma usar as desculpas de falta de tempo em casa ou de dinheiro para não estudar, agora, não tem mais nenhuma das duas.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas

O que você achou? Comente