Em outubro, todos os tipos de combustível aumentaram nos postos da região; avanço de 1,8% no etanol foi o maior registrado em todo o País

Depois de um período de baixa, os motoristas da Região Norte voltaram a pagar mais caro pelos combustíveis, revela o levantamento de outubro do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Até mesmo o etanol, que há dois meses não registrava aumento, voltou a subir nas bombas da região, com o litro vendido a R$ 3,826, ante os R$ 3,758, de setembro.

“Quando analisamos o comportamento de preços no Norte, percebemos que, além de concentrar as maiores médias do País para o etanol, o combustível também apresentou a maior variação nas bombas, com alta de 1,8%. Se comparamos com a média do litro vendido no Centro-Oeste, a diferença chega a ser 17% maior. A região também lidera com o valor mais caro do diesel comum e do S-10”, comenta o Diretor-Geral de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, Jean-Urbain Hubau (Jurb).

No recorte por Estado, o Acre lidera o ranking com o litro mais caro para gasolina e para o etanol, comercializados a R$ 4,853 e R$ 4,006, respectivamente. Já os postos do Amazonas continuam a apresentar o litro do etanol mais barato, com média de R$ 3,526.

No Tocantins, foi registrado o menor valor médio do diesel: R$ 3,791, ante os R$ 4,571 do Amapá, que também lidera o ranking do litro mais caro de todo o território nacional. Já em Roraima, o destaque foi a maior alta registrada para esse tipo de combustível nos postos brasileiros, um avanço de 4%, com o litro comercializado a R$ 4,125, ante os R$ 3,961 de setembro.Os postos de Rondônia apresentaram avanço de 1,4% para o etanol e de 0,88%, para a gasolina. No Pará, os motoristas também pagaram mais caro pela gasolina: o combustível passou de R$ 4,775 para R$ 4,819, em outubro.

No contexto nacional, os combustíveis registraram alta pelo segundo mês consecutivo nos postos de todo o Brasil. O GNV, o etanol e a gasolina apresentaram as menores variações, de 0,3%, 0,6% e 1%, respectivamente, enquanto o valor do litro do diesel S-10 avançou 2,2%, e, do diesel comum, 2,4%. Com o novo aumento, o preço do diesel alcançou o maior valor médio do ano, vendido a R$ 3,913, média que alcança o preço identificado nas bombas em maio de 2018, durante o pico da crise de abastecimento que afetou o País.

O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que traz grande índice de confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com mais de 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras, a fim de simplificar os processos diários.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas