O mercado de trabalho está mudando e as taxas de desemprego não param de subir. Nesse cenário, são muitos os brasileiros que querem abrir um negócio e conseguir o investimento necessário para que os sonhos saiam do papel.

Ser o seu próprio chefe pode ser ótimo, mas para chegar lá, um grande caminho deve ser percorrido. Separamos seis passos básicos para quem quer ter um negócio de sucesso e ainda não sabe por onde começar.

Empreenda no mercado que você já domina

Pode parecer lógico, mas vale reforçar, na hora de empreender, escolha um assunto no qual tenha experiência. O erro de muitos empreendedores iniciantes é abrir negócios baseados em hobbies ou em atividades que eles gostariam de exercer, mas não possuem conhecimento de mercado.

Nesses casos, as consequências são graves, pois o empreendedor não sabe comprar ou precificar corretamente os produtos, por exemplo. Para abrir um restaurante, não basta gostar de cozinhar. Comprar os alimentos, manter um giro de estoque e trabalhar com projeções de lucro são atividades que fazem parte da rotina.

Por isso, é importante escolher de forma cuidadosa o seu ramo de atuação. Certifique-se de que você e os seus sócios tenham a experiência necessária.

Atenção para a parte financeira

Para abrir o próprio negócio, é importante se preparar financeiramente. Além do investimento para tirar a ideia do papel, você precisa manter as operações funcionando até o momento em que começar a ter lucro.

Aqui, é importante reforçar que você não terá lucro ou recuperar o dinheiro investido rapidamente. Por isso, o planejamento financeiro é importante. Em muitos casos, empreendedores fazem as contas apenas para tirar a ideia do papel.

O capital de giro é o desafio da maioria das pessoas que resolvem abrir o próprio negócio. A maioria das alegações de mortalidade das empresas está ligada a falta de dinheiro entre os prazos de receita e os prazos de despesas.

Por isso, é importante ter dinheiro reservado, para não entrar nas estatísticas das empresas que morrem nos dois primeiros anos de atividades.

Faça um plano de negócios

Depois de escolher o seu ramo de atuação, é necessário desenvolver um plano de negócios. Aqui, pontos importantes como análise de mercado, público-alvo, produtos, serviços e fontes de receitas serão definidos.

Por meio do plano de negócios você consegue analisar a quantidade de recursos que precisará ser investida para colocar a sua ideia em prática. Durante o desenvolvimento do plano de negócios, é essencial entender o mercado e suas dificuldades.

Pesquisa de mercado e público-alvo

Como já citamos, a pesquisa de mercado e o conhecimento do público-alvo são importantes para o plano de negócios. Mais do que isso, esses dois fatores são cruciais para criar um empreendimento de sucesso.

É preciso analisar o mercado no qual está entrando, entender as suas dores e dificuldades e também o que já funciona. Veja onde outras empresas acertaram e erraram para não cometer os mesmo erros. Analise se há espaço para mais um empreendimento e como você irá se destacar, qual o seu diferencial em relação aos outros.

Conjuntamente, entenda seu público. Quais as necessidades que ainda não são atendidas? Como melhorar a entrega de determinado serviço? Como conquistá-lo? Essas são perguntas cruciais para se lançar no mercado de forma assertiva, oferecendo um diferencial e conquistando o seu espaço.

Escolha um bom ponto comercial

Se o seu empreendimento é um ponto comercial e necessita do contato direto com os clientes, vale a pena gastar energia para escolher o lugar ideal. Isso pode ser fundamental para o seu sucesso.

Invista na melhor localização, mesmo que ela seja mais custosa. Quando não se tem uma marca grande, a loja ainda não é o ponto de destino dos consumidores. Isso significa que é preciso estar em um lugar com bom fluxo de pessoas para atraí-los.

Ter ou não sócios?

Primeiro, quanto você tem para investir no seu negócio? É o suficiente para abrir sozinho? Se não, uma das alternativas é ter um sócio para levantar o investimento inicial necessário. Porém, escolher um sócio é uma tarefa que exige alguns cuidados.

Por mais que amigos sejam ótimas pessoas, nem sempre é ideal trazer uma amizade para o negócio. Isso pode gerar problemas no futuro, principalmente se não tiverem visões de mercado parecidas.

Também é importante ter alguém com um leque de habilidades um pouco diferente das suas, assim, é possível agregar experiência. Ou seja, se você é bom na parte de finanças e contabilidade, ter um sócio especialista em comunicação e marketing pode ajudar. É somar para multiplicar.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas

O que você achou? Comente