Portogente – Nome?
José Eduardo Lopes

Portogente – Idade?
Lopes -
48 anos

Portogente – Naturalidade?
Lopes - Fernandópolis – SP

Portogente – Profissão?
Lopes - Administrador de Empresas.

Portogente – Atividade Profissional?
Lopes - Diretor de Operações da Fertimport S/A e presidente do SINDAMAR – Sindicato das Agencias de Navegação Marítima do Estado de São Paulo.

Portogente – Estado Civil?
Lopes –
Casado.

Portogente – Filhos?
Lopes - 2 filhos (20 e 17 anos) e 1 filha (10 anos).

Portogente – Time preferido de futebol?
Lopes -
Santos Futebol Clube.

Portogente – Esporte preferido?
Lopes -
Gosto de caminhar na praia.

Portogente – O que gosta de fazer nas horas de folga?
Lopes -
Ler e estar com os amigos.

Portogente – Livro preferido?
Lopes - “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell, bem apropriado para o momento político atual. A frase que acredito seja a síntese do livro é: “Todos são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros”.

Portogente – Filme?
Lopes - Cold Mountain (para citar um filme recente...).

Portogente – Gênero musical?
Lopes - Embora prefira as românticas, gosto, na verdade, de qualquer gênero, desde que sejam músicas de qualidade.

Portogente – Um lema?
Lopes -
"Se você conhece o oponente e a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas” (Sun Tzu - A Arte da Guerra).

Portogente – Uma frase marcante?
Lopes - “Navegar é preciso, viver não é preciso” (frase de Fernando Pessoa e também lema dos navegadores portugueses).

Portogente – Personalidade que tem como exemplo para a sociedade?
Lopes - Tenho como um de meus exemplos Cândido Rondon, o maior desbravador, bandeirante, sertanista e pacificador que o Brasil já teve. Viveu entre 1865 e 1958. Seu grande trabalho envolveu os povos indígenas e a expansão das comunicações no país. Ao completar a sua última missão em 1938, estabelecendo um acordo entre o Peru e a Colômbia – que disputavam a região de Letícia, Rondon estava quase cego. Foi indicado para o Nobel da Paz pelo conjunto de suas obras. Pouco antes de morrer, o Congresso Nacional o promoveu, por mérito, a Marechal e deu, em sua homenagem, o nome de Rondônia ao então Território de Guaporé. Foi fiel ao seu pensamento: "Mais importante que a vida é o espírito com qual a vivemos".

Portogente - Hobby?
Lopes -
Colecionar canetas.

Portogente – Realiza ou apóia algum trabalho voluntário?
Lopes - Sim, a Fertimport desenvolve e apóia um projeto chamado “Comunidade Educativa”, que soma recursos da empresa ao trabalho e talento dos funcionários visando a melhoria da qualidade do Ensino Fundamental no país. No momento, 62 funcionários atuam como voluntários nesse projeto, implantado em Santos, São Paulo, Recife e Rio Grande.

Portogente – Há quanto tempo atua no ramo portuário?
Lopes - Como comecei a trabalhar cedo (aos 15 anos), posso me orgulhar de já estar na atividade há cerca de 33 anos, metade dos quais vivendo em Santos e envolvido diretamente com as questões portuárias locais e de outros portos do país e do mundo.

Portogente – O senhor tomou posse da presidência do Sindamar no início deste ano. Quais são os seus projetos para essa gestão? Qual o período de duração do mandato?
Lopes - Fomos eleitos para o triênio 2003/6. Cientes de que os profissionais que atuam nas agências marítimas, detentores de conhecimento altamente especializado, são o seu maior patrimônio, temos, neste primeiro momento, preocupação especial em continuar oferecendo treinamentos que propiciem a constante atualização, aprimoramento e desenvolvimento dos conhecimentos e habilidades desses colegas. 

Portogente – O que o senhor espera da Autoridade Portuária, enquanto administração do Porto de Santos?
Lopes - Parafraseando o Almirante Barroso (afinal comemoramos em 11 de junho a Batalha do Riachuelo), “o Brasil espera que cada um cumpra o seu dever”. Em outras palavras, esperamos que a Autoridade Portuária possa ser um agente de profundas mudanças e de criativas soluções para os problemas que nos afetam, atuando ainda como instrumento e catalisador para o continuado progresso do nosso porto, trazendo, como resultado final, riquezas para a nossa região, para o nosso país e para o nosso povo.

Portogente – A implantação do ISPS Code, medida de segurança contra o terrorismo, afeta as Agências de Navegação Marítima de alguma forma? Positiva ou negativamente?
Lopes - O ISPS Code não requer que os agentes marítimos sejam certificados. Contudo, o que se espera é que eles detenham profundo conhecimento dos requisitos exigidos, tanto para os navios quanto para os terminais e portos, e, sempre que necessário, possam intermediar o contato e o entendimento entre essas partes. Portanto, esta será mais uma habilidade e competência que os agentes marítimos passarão, a partir de agora, a acumular.

 
Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente