Movimento visitou local onde aconteceu acidente com cargueiro e atracadouro, no Guarujá, e Mercado do Peixe, em Santos, e apresentou para a população as vantagens da obra do túnel imerso, como a segurança, para a ligação seca entre os municípios

A campanha 'Vou de Túnel', que defende projeto do túnel imerso como melhor alternativa para a ligação seca entre Santos e Guarujá, promoveu uma ação no sábado, dia 26 de junho, no Mercado do Peixe, em Santos, e no Guarujá, nas proximidades do local onde ocorreu, no último domingo, o grave acidente envolvendo um cargueiro e o atracadouro de balsas que fazem a travessia às margens do Porto de Santos. O objetivo da 'Blitz da Campanha Vou de Túnel' foi conscientizar e informar a população sobre o projeto do túnel e reforçar as vantagens da obra, especialmente, a questão da segurança para a comunidade e os benefícios para o desenvolvimento da operação do Porto de Santos.

Acidente balsa JUN2021 8Acidente ocorrido no dia 19 de junho último com navio no Porto de Santos,
que destruiu parte do local das balsas de carros e barcas.

Além de informar a sociedade, a iniciativa colheu novas assinaturas para a petição online que defende o projeto e distribuiu mais de 500 máscaras para os presentes. A blitz seguiu todas as recomendações e protocolos de segurança das autoridades de saúde no combate à COVID -19.

O conselheiro da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Santos e porta voz da campanha, Eduardo Lustoza explica que a ação visa informar a população sobre o debate da ligação seca e reforçar que o projeto do túnel imerso é a opção mais segura, viável economicamente e a única que atende às necessidades da população e promove o incremento da operação portuária.

"A Blitz da campanha pretende tornar cada vez mais transparente para a população da Baixada Santista o processo decisório sobre a ligação seca, um pleito antigo da comunidade local. É preciso que todos conheçam a fundo o projeto do túnel imerso, a única opção viável para resolução desse gargalo", declarou.

Lustoza analisa que o túnel é a melhor alternativa pela questão da segurança dos usuários, mas também por promover a inclusão social e sustentabilidade ambiental e econômica. "Além de mais seguro, a escolha deste modal promove a mobilidade urbana já que permite a integração de ciclovias e conta com uma via exclusiva para o Veículo Leve sobre Trilhos, reduzindo o tempo de deslocamento com o transporte público", explica.

Desde o lançamento do movimento, a Campanha "Vou de Túnel" tem promovido ações nas ruas dos municípios da Baixada Santista para conversar com a população sobre os benefícios do projeto túnel imerso, tanto em relação à mobilidade urbana e qualidade de vida, quanto para o desenvolvimento do Porto de Santos, já que o túnel não cria obstáculos físicos no canal de navegação e possibilita a expansão dos negócios.

Acidente
O acidente ocorrido no dia 20 de junho, quando um navio de grande porte colidiu e destruiu atracadouro de balsas causando a interrupção de travessia Santos-Guarujá, reforçou a necessidade de agilidade na definição pelo encaminhamento da obra do túnel imerso entre os municípios. O Ministério da Infraestrutura apresentará uma decisão sobre a obra, ponte ou túnel, até setembro.

Especialistas e autoridades consideram a ligação imersa a alternativa mais segura e eficiente para a travessia na região do Porto de Santos. O ex-presidente da Autoridade Portuária de Santos e porta-voz da campanha Vou de Túnel, Casemiro Tércio de Carvalho destaca que o projeto do túnel imerso é o único que cobre todas as questões relacionadas à segurança, pois não cria uma barreira física no canal de navegação do Porto de Santos. Segundo ele, uma ponte no local aumentaria o risco de acidentes, como colisões em áreas de manobra, já que prejudicaria a manobrabilidade dos navios.

"O incidente é mais uma clara demonstração de que não existe a possibilidade de construção de uma ponte no canal de navegação do maior porto da América Latina. A colisão de um navio com um pilar, por exemplo, causaria uma tragédia de grandes proporções e poderia interromper a navegação no canal, com impactos negativos na operação do Porto de Santos e na economia de todo o país", pondera.

Carvalho lembra que é consenso na comunidade portuária internacional que ligações secas em áreas portuárias devem ser imersas. De acordo com o engenheiro naval, a ligação imersa viabiliza a passagem de navios cada vez maiores no canal de navegação e segue as recomendações da PIANC (Associação Mundial de Infraestrutura de Transporte Marítimo) que indica a ligação via túnel como a melhor alternativa.

A deputada federal, Rosana Valle, autora do requerimento da audiência pública na Câmara Federal realizada no final de maio para debater a ligação seca, analisa que o recente acidente é mais um fato que atesta a necessidade de escolha do túnel como modal para a ligação seca entre Santos e Guarujá.

" O acidente que aconteceu é mais uma evidência de que o melhor caminho é através do túnel. Se pensarmos em um navio batendo nos pilares de uma ponte, podemos imaginar os prejuízos incalculáveis que poderiam ser causados e, o que é pior, até com vítimas. Abracei essa causa por entender que o setor portuário aprova a ligação seca por meio do túnel. Afinal, é a opção que não afeta a segurança e a expansão do Porto, que é estratégico para o Brasil", argumenta.

A parlamentar destaca que a obra poderá ser incluída no processo de desestatização do Porto de Santos. "Isso significa que ela pode ser custeada pelo privado que vencer a disputa para fazer a gestão do maior Porto da América do Sul. Estou atuando para que essa ligação seca, pleiteada há mais de 100 anos, saia efetivamente do papel", afirma.

Após o acidente, o prefeito do Guarujá, Valter Súman visitou o local e defendeu a escolha do túnel para evitar novas ocorrências na região do porto. Súman afirmou que espera que os governos estadual e federal cheguem a um acordo definitivo para viabilizar a ligação seca entre os municípios.

O presidente da UVEBS (União de Vereadores da Baixada Santista), vereador Betinho Andrade, lamentou o acidente que destruiu um atracadouro na margem esquerda (Guarujá) do Porto de Santos e também defendeu o túnel imerso como a melhor alternativa para a ligação seca às margens do maio porto da América Latina. "É inadiável a ligação seca entre Santos e Guarujá e a única opção é via túnel", afirmou. "Imagine se tivéssemos uma ponte ali", completa.

Apoio popular
A campanha 'Vou de Túnel' conta com crescente apoio popular. A petição online disponível no site do movimento já recebeu cerca de 4,5 mil assinaturas desde o lançamento da iniciativa.

Além disso, o pool de empresas que apoia a causa é formado por cerca de 60 instituições que associam a sua marca ao movimento. A petição online disponível no site https://voudetunel.com.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
O que você achou? Comente